Atriz Lori Loughlin se declara culpada via Zoom em escândalo de subornos universitárias

A atriz Lori Loughlin e seu esposo Mossimo Giannulli, em agosto de 2019 no tribunal federal de Boston

A atriz americana Lori Loughlin se prepara para ser presa após se declarar culpada nesta sexta-feira (22) de pagar subornos para que suas duas filhas fossem admitidas na renomada Universidade do Sul da Califórnia.

Como dezenas de outros pais ricos, Loughlin, de 55 anos, atriz da série de TV "Full House" (Três é Demais) e seu marido, o designer de moda Mossimo Giannulli, 56 anos, foram acusados de conspiração por fraude bancária, conspiração para pagar subornos em programas federais e conspiração de lavagem de dinheiro em meio ao escândalo sobre subornos universitários.

Os dois, vestidos em cores escuras e com atitude conformada, trocaram suas declarações de inocência pela de "culpados" em uma audiência virtual com um juiz federal de Massachusetts, aceitando um acordo com os promotores que poderia aliviar significativamente suas sentenças.

A audiência foi feita pelo Zoom devido à pandemia de coronavírus que fechou os tribunais de todo o país.

Loughlin e seu marido foram acusados de pagar US$ 500.000 para garantir que suas filhas entrassem na USC como membros da equipe de competição de remo, um esporte que nunca praticaram.

O acordo é favorável aos acusados, já que se tivessem ido à julgamento e fossem declarados culpados de todos os crimes, enfrentariam uma pena máxima de 45 anos de prisão cada um.

Se o juiz federal Nathaniel Gorton aceitar suas declarações de culpa, os promotores irão arquivar algumas das acusações e recomendarão uma pena de dois meses de prisão para Loughlin e cinco para Giannulli.

O acordo também diz que Loughlin deverá pagar uma multa de US$ 150.000 e fazer 100 horas de trabalho comunitário. A sentença de seu marido será mais dura: passará cinco meses na prisão, pagará uma multa de US$ 250.000 e deverá cumprir 250 horas de serviço comunitário.

Ambos passarão dois anos em liberdade condicional após cumprirem a pena.

A sentença foi marcada para 21 de agosto.

O organizador do esquema de subornos, William "Rick" Singer, recebeu mais de US$ 25 milhões por subornar treinadores e funcionários responsáveis pelas admissões universitárias, de acordo com a promotoria. Ele se declarou culpado e coopera com as autoridades.

A atriz de "Desperate Housewives", Felicity Huffman, acusada no mesmo escândalo, se declarou culpada por pagar US$ 15.000 para que o resultado do teste de admissão universitária de sua filha fosse melhorado e passou duas semanas em um presídio da Califórnia. Foi liberada em outubro passado.