Atriz Lucélia Santos e ex-ministro Juca Ferreira deverão compor núcleo de Cultura da transição

O governo eleito já convidou três nomes para compor o grupo responsável pela transição na área da Cultura: a atriz e candidadata a deputada derrotada Lucélia Santos, o ex-ministro da área Juca Ferreira, além de Márcio Tavares, que liderou as discussões sobre o tema na campanha do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva. Esse núcleo deverá ter ainda outros colaboradores, a serem anunciados aos poucos.

Inicialmente, o grupo pretende focar em três eixos principais. Primeiro, será feita uma análise da estrutura atual da secretaria de Cultura, a fim de identificar o que precisa ser feito para que a pasta volte a ser um ministério, como planeja Lula.

O segundo foco será um levantamento das normas editadas durante o governo de Jair Bolsonaro para identificar quais devem ser revogados. Por último, o grupo fará uma avaliação sobre o orçamento disponível e possíveis fontes de recurso para a pasta.

A expectativa é que já a partir de amanhã alguns membros do grupo comecem a trabalhar no CCBB, sede da transição em Brasília.

A recriação do Ministério da Cultura é uma demanda do setor e uma das promessas do presidente eleito. Lula contou com amplo apoio do setor cultural durante a campanha.

O vice-presidente eleito e coordenado da transição anunciou os nomes de coordenadores de duas áreas. Na coordenação econômica ficarão André Lara Resende, Guilherme Melo, Nelson Barbosa e Pérsio Arida. Já a área social será coordenada por Simone Tebet, as ex-ministras de desenvolvimento social Tereza Campello e Márcia Lopes; e André Quintão, que foi candidato a vice na chapa de Alexandre Kalil em Minas.