Atriz Pamela Anderson minimiza boatos sobre romance com Assange, do Wikileaks

Atriz e defensora dos direitos dos animais Pamela Anderson durante evento em Paris 19/01/ 2016. REUTERS/Philippe Wojazer

ESTOCOLMO (Reuters) - A atriz Pamela Anderson foi comedida ao falar a respeito de seu suposto romance com o fundador do Wikileaks, Julian Assange, dizendo que estar entrincheirado na embaixada do Equador em Londres torna um namoro "um pouquinho difícil".

Participando de um talk show da televisão sueca, a ex-estrela da série "Baywatch" e ativista dos direitos dos animais disse que provavelmente passou mais tempo com Assange do que com qualquer outro homem ultimamente, mas não deu detalhes.

A mídia britânica noticiou que Pamela foi flagrada visitando Assange na embaixada localizada no centro da capital inglesa, onde ele se refugiou em 2012 para evitar uma extradição à Suécia devido a alegações de que cometeu estupro no país em 2010, o que ele nega.

Em um trecho em vídeo da entrevista, que vai ao ar na noite desta sexta-feira, Pamela é questionada se o relacionamento é romântico e se os dois estão namorando. A atriz de 49 anos ri e responde: "Bem, ele está aprisionado, isso tornaria um pouquinho difícil".

Pressionada, ela diz: "Vamos ver o que acontece quando ele estiver livre. Mas, sabe, provavelmente passei mais tempo com ele do que com qualquer outro homem socialmente, o que é muito estranho".

Em uma postagem no site pamelaandersonfoundation.org feita na quinta-feira, ela se referiu a Assange como "uma das minhas pessoas favoritas".

"Ele pode ser o refugiado mais famoso, mais politizado de nossos tempos. Famoso por ser perseguido. Famoso por ser perseguido não é uma posição de poder, mas uma posição de vulnerabilidade. Estou preocupada", escreveu.

No trecho do vídeo, ela ainda diz: "Ele é muito sexy".

(Por Ilze Filks e Marie-Louise Gumuchian)