Atriz pornô entra na Justiça contra PT para se filiar ao partido

Conhecida como Tigresa Vip, Ester tenta entrar no PT para disputar o cargo de deputada estadual (Foto: REUTERS/Leonardo Benassatto)
Conhecida como Tigresa Vip, Ester tenta entrar no PT para disputar o cargo de deputada estadual (Foto: REUTERS/Leonardo Benassatto)

Resumo da notícia

  • Ester Pessato, atriz pornô, quer se filiar ao PT para tentar ser deputada estadual

  • Partido alega irregularidades na filiação

  • Advogados de Ester falam em conservadorismo por parte do partido

A atriz pornô Ester Caroline Pessato, 24 anos, pediu para que os advogados dela entrassem na justiça para que ela conseguisse, enfim, se filiar ao Partido dos Trabalhadores. Segundo informações do jornal O Globo, a ação foi ajuizada na noite da última terça-feira (24) contra o Diretório Estadual do PT no Mato Grosso.

Ester é conhecida como Tigresa Vip e soma mais de 1,5 milhão de seguidores nas redes sociais. O objetivo dela é concorrer ao posto de deputada estadual pelo PT.

De acordo com veículos de imprensa locais, líderes do PT do Mato Grosso, como o deputado estadual Valdir Barrando, afirmam que há irregularidades no processo de filiação de Ester. Ela teria se juntado ao Partido dos Trabalhadores na cidade de Barão Melgaço, mas sem autorização do diretório municipal.

Na ação, divulgada pelo jornal O Globo, a defesa de Ester afirma que ela “havia solicitado a transferência de seu título de eleitor para o município de Barão de Melgaço/MT, onde reside atualmente. Materializada a mudança de seu domicílio eleitoral, a sua filiação partidária também foi transferida”.

Para os advogados, o processo de suspensão da atriz pornô do PT foi feito sem transparência e sem direito à defesa. A filiação foi feita pelo site do partido e teria sido confirmada em 2 de abril. No dia 14, ela fez um evento para anunciar a pré-candidatura à deputada estadual.

Segundo O Globo, quatro dias depois, o Diretório Estadual do PT votou por Whatsapp e suspendeu a filiação. A suspensão foi confirmada pelo Diretório Nacional no dia 13 de maio.

Um dos advogados de Ester, Paulo Lemos, acredita que a resistência ao nome de Ester é uma questão de conservadorismo.

A polêmica envolvendo a filiação acontece desde abril. Na ocasião, a deputada federal Rosa Neide (PT-MT) foi acusada de enviar um áudio, criticando a candidatura. "Se é para fazer campanha política sendo chacota para o país, não estou disposta. Então já enviei para a presidenta (Gleise Hoffman) e espero que segunda-feira o deputado Valdir Barranco, nosso presidente, possa fazer uma reunião e discutir a questão antes que seja tarde demais", diz a gravação. À imprensa local, Rosa Neide não confirmou nem negou a autoria da gravação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos