ATUALIZADA - Facebook suspende 30 mil contas fictícias na França

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A poucos dias da eleição presidencial na França, o Facebook anunciou, nesta quinta-feira (13), ter suspendido 30 mil contas fictícias no país, na tentativa de combater a disseminação de spam e notícias falsas. A ação contra perfis que violam seus termos de serviço é considerada uma das mais agressivas da empresa, que tem como procedimento responder a reclamações.

O Facebook diz que seu objetivo é "reduzir a divulgação de materiais gerados por meio de atividade não autêntica, incluindo spam, desinformação ou outros conteúdos enganosos que são comumente compartilhados por criadores de perfis falsos".

Teme-se que a divulgação desses conteúdos nas redes sociais possa influenciar o resultado da corrida presidencial na França, uma das mais acirradas da história recente. O pleito ocorrerá em 23 de abril, e o segundo turno está marcado para 7 de maio.

O Facebook recebeu muitas críticas após a eleição dos Estados Unidos, em novembro de 2016, tendo sido acusado de realizar poucas ações para combater a disseminação de informações incorretas em sua plataforma.

Um estudo do BuzzFeed mostrou que a interação de usuários da rede social com notícias falsas sobre a eleição superou o acesso à reportagens de grandes veículos de comunicação nos meses que antecederam o pleito. Segundo especialistas, a desinformação pode ter contribuído para que Donald Trump chegasse ao poder.

Desde então, o Facebook anunciou o reforço de sua vigilância sobre notícias sinalizadas pelos usuários como duvidosas.

OPERAÇÃO

Nesta sexta-feira, o Facebook anunciou ter descoberto uma operação internacional que espalhava a opção "curtir" e comentários falsos para ganhar amigos e enchê-los com mensagens spam.

Segundo a empresa, as contas que foram alvo do ataque eram, principalmente, de Bangladesh, Indonésia e Arábia Saudita. Ela informou também que foram necessários seis meses para neutralizar o que considera uma campanha coordenada.

O Facebook considerou que o objetivo seria enganar os donos das contas para que se tornassem "amigos" de perfis falsos por onde eram enviadas as mensagens spam.