ATUALIZADA - Moscou veta investigação da ONU sobre ataque na Síria

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em uma reunião tensa no Conselho de Segurança da ONU nesta quarta-feira (12), os EUA afirmaram que a Rússia está "se isolando na comunidade internacional" ao manter o apoio ao ditador sírio, Bashar al-Assad.

Como previsto, Moscou vetou uma resolução que instalaria uma investigação da ONU sobre o ataque químico que deixou mais de 80 mortos no nordeste da Síria na semana passada. Foi o oitavo veto russo a uma resolução contra Assad desde o início da guerra civil síria, em 2011.

"Meus colegas da Rússia, vocês estão se isolando da comunidade internacional cada vez que os aviões de Assad lançam uma bomba de barril em civis e toda vez que Assad tenta matar de fome uma comunidade", disse a embaixadora dos EUA, Nikki Haley.

O representante britânico no conselho, Matthew Rycroft, informou que exames no local do ataque indicaram a presença de gás sarin. Rycroft acusou a Rússia "ficar ao lado de um criminoso e assassino bárbaro em vez de seus pares internacionais".

O enviado russo, Vladimir Safronkov, rebateu: "Ninguém visitou até agora o local do crime. Como você sabe isso?". Ele exigiu que o britânico olhasse para ele e disse que não permitiria "que a Rússia fosse insultada".

A reunião do Conselho de Segurança ocorre durante visita do secretário de Estado americano, Rex Tillerson, à Rússia, onde se reuniu com o chanceler Sergei Lavrov e o presidente Vladimir Putin.

Lavrov defendeu a realização de uma investigação independente e objetiva sobre o ataque químico na Síria, que os EUA atribuem a Damasco, mas no qual Damasco nega envolvimento.