ATUALIZADA - Nova fase da Lava Jato cumpre mandados no Rio

BELA MEGALE, CAMILA MATTOSO, LETÍCIA CASADO E ESTELITA HASS CARAZZAI

BRASÍLIA, DF, E CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal deflagrou nesta terça (28) uma nova fase da operação Lava Jato. As autorizações para cumprir os mandados foram expedidas pelo juiz Sergio Moro, responsável pela operação no Paraná.

Batizada de Paralelo, a nova fase da Lava Jato mira o uso de dinheiro do mercado clandestino de valores. Os policiais cumprem um mandado de prisão preventiva no Rio, além de cinco pedidos de busca e apreensão. Os alvos dessa são uma corretora de valores e um gerente da Petrobras.

O executivo trabalhava na diretoria de Serviços da Petrobras, e é apontado como beneficiário de propinas em contas no exterior, pagas por empreiteiras que tinham contratos com a estatal.

Segundo a PF, a operação também objetiva apurar a atuação de operadores no mercado financeiro. A corretora de valores, sediada no Rio, é suspeita de ter viabilizado o pagamento de propina para funcionários da Petrobras.

O nome Paralelo é uma referência à atuação clandestina da operadora, "à margem dos órgãos de controles oficiais do mercado financeiro", de acordo com a PF.

A última fase da Lava Jato, a 38ª, aconteceu em fevereiro. Nomeada de Blackout, investigou o pagamento de US$ 40 milhões em propina a políticos e diretores da Petrobras.

Os alvos foram Jorge Luz e seu filho, Bruno, suspeitos de serem operadores do PMDB na Petrobras. Inicialmente considerados foragidos, eles foram presos pela Interpol em Miami um dia depois da operação.