ATUALIZADA - Procuradoria denuncia Perillo, governador de Goiás, por corrupção

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público Federal denunciou nesta quinta-feira (30) o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), pelo crime de corrupção passiva. A denúncia foi oferecida ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

O tucano é acusado de receber propina para beneficiar a construtora Delta em contratos do governo estadual. Ele nega as supostas irregularidades.

Outras três pessoas também foram denunciadas por corrupção ativa, acusados pelos pagamentos: o presidente da empresa, Fernando Cavendish, o diretor Cláudio Dias Abreu e o operador Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Segundo a peça, assinada pelo vice-procurador-geral José Bonifácio, Perillo recebeu duas parcelas de R$ 45 mil da Delta por meio de empresas fantasmas.

Os recursos teriam sido usados para o pagamento de dívidas da campanha de 2010.

Em troca, em 2011 e 2012, o governador teria permitido a assinatura de dois termos aditivos a um contrato que o governo mantinha com a empresa para a locação de carros em uma de suas secretarias.

Com isso, afirma o Ministério Público, o valor saltou de R$ 66,2 milhões para R$ 75,3 milhões.

Em nota, o advogado do governador Antonio Carlos de Almeida Castro nega as acusações e diz que "há completa tranquilidade". "Imaginar que um governador de Estado dê qualquer vantagem a pessoas ou empresas em troca de dois pagamentos de R$ 45 mil é fruto do momento punitivo pelo qual passa o país", afirma.

A partir do pedido do Ministério Público, o STJ decide se acolhe a denúncia contra Perillo -o que transformaria o tucano em réu. No Estado, a instauração de processo contra o governador depende também de autorização da Assembleia Legislativa.