Temer afirma que lei de terceirização não prejudica o trabalhador

Foto: Beto Barata/ PR

THAIS BILENKY

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente Michel Temer afirmou nesta segunda-feira (3) que a lei de terceirização foi sancionada por ele "sem prejudicar o trabalhador".

Em evento no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, o peemedebista previu que o país encerrará o ano "muito abaixo" do centro da meta de inflação, de 4,5%.

O presidente também se confundiu e afirmou que a redução da inflação "é fundamental para os que querem investir, mas é fundamental para os mais pobres, que não sofrem os efeitos da inflação".

O Banco Central revisou sua previsão para a inflação oficial de 2017 de 4,4% para 3,9%.

A medida é "importante", argumentou, porque, "há mais de 20 anos, falava-se nisso no Brasil e jamais se levava adiante".

"Dou o exemplo para relembrar a, digamos, quase ousadia que estamos tendo na condução dos negócios governativos do nosso Brasil", afirmou Temer.

A Rede Sustentabilidade entrou com ação no Supremo nesta segunda contra a lei, alegando inconstitucionalidade. O partido afirmou que o projeto, enviado em 1998, pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, não poderia ter sido aprovado uma vez que, em 2003, o então presidente Lula pediu sua retirada do Congresso.

Temer participa de evento com o rei Carlos 16 Gustavo, da Suécia, e a rainha Sílvia, para empresários de ambos os países.

Nascida na Alemanha e criada no Brasil, a rainha Sílvia fala português com fluência. Ela é filha de uma brasileira e não raramente vem ao Brasil.