Audiência de conciliação entre envolvidos em ‘barraco do Leblon’ termina sem acordo

Paolla Serra
·2 minuto de leitura

RIO — Terminou sem conciliação a primeira audiência entre a empresária Scheila Danielle Gmack Santiago, a influenciadora digital Priscilla Dornelles, o engenheiro de produção Wilton Vacari, a arquiteta Aline Cristina Araújo Silva e o empresário Maurício Barros Pitanga. O encontro, que aconteceu por videoconferência em virtude da pandemia, visava a uma “composição entre os supostos autores do fato e a vítima” de uma confusão ocorrida na Rua Dias Ferreira, no Leblon, no dia 25 de setembro.

De acordo com o despacho da juíza Maria Tereza Donatti, titular do 4º Juizado Especial Criminal, os advogados dos envolvidos relataram que não foi possível chegar a um “entendimento, uma vez que a posição de seus clientes, na busca do consenso, são díspares”. Enquanto o advogado Renan Pacheco Canto, que defende Scheila, Priscilla e Wilton, buscava a retratação por parte de Aline e Maurício nas redes sociais, além de R$ 15 mil para cada um, o casal ansiava por um pedido de desculpas do trio.

A conciliadora Gabriela Maria, responsável pela condução da audiência, ainda sugeriu que as partes cedessem para “atingir um desfecho positivo”, no qual “os familiares não fossem afetados pelo desgaste de um litígio”. No entanto, a tentativa também restou frustrada.

No processo, a empresária acusa a arquiteta e o empresário de difamação, injúria e vias de fato. Scheila voltava com amigos de um passeio de lancha, quando passou, por volta das 20h, pelo restaurante Togu, na Zona Sul do Rio, onde Aline estava com o namorado, Maurício, numa mesa.

Enquanto Scheila beijava Priscilla, ambas de biquíni, dentro de um conversível dirigido por Wilton, Aline teria ficado incomodada e arremessado garrafas d’água contra o veículo. A empresária então desceu do carro, agrediu a arquiteta e teve o sutiã arrancado por Maurício em seguida.

“Andar de carro conversível não é crime, de biquíni muito menos. Scheila e Priscila foram atacadas em seu gênero feminino. A conduta de Aline e Maurício deve receber uma reprimenda legal”, informou Renan, que vai ingressar com uma queixa-crime contra o casal.