Audi deve anunciar a entrada da Fórmula 1 em 2026

Audi vai assumir a Sauber com uma compra majoritária da equipe atualmente conhecida como Alfa Romeo. Foto: Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images
Audi vai assumir a Sauber com uma compra majoritária da equipe atualmente conhecida como Alfa Romeo. Foto: Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images

O GP em Spa-Francorchamps neste fim de semana pode ser o cenário da confirmação da Audi de que a montadora de luxo alemã de propriedade da Volkswagen está de fato entrando na Fórmula 1 em 2026.

Fontes relatam que parece provável que a Audi finalmente anuncie que está assumindo a Sauber, com sede na Suíça, com uma compra majoritária da equipe atualmente conhecida como Alfa Romeo.

Leia também:

Acredita-se que o chassi continue a ser desenvolvido em Hinwil, com o motor Audi produzido em solo alemão. O ex-diretor de segurança da FIA Adam Baker, um australiano, é apontado como um dos principais oficiais da Audi para o projeto da F1.

A lenda da F1, Gerhard Berger, no entanto, negou que tenha desempenhado um papel fundamental na orientação das negociações entre Audi e Sauber.

“Não tenho um contrato de consultoria de Fórmula 1 com a Audi”, disse Berger, ex-diretor de automobilismo da BMW e atual chefe da série DTM, ao portal motorsport-total.com.

No entanto, ele admitiu que apresentou a McLaren à marca alemã, embora essas conversas não tenham resultado em um acordo.

Após o esperado anúncio da Audi no GP da Bélgica, a Porsche deve seguir com a especulação de uma compra de 50% da Red Bull Racing. O atraso das marcas de propriedade da Volkswagen em confirmar suas respectivas entradas na F1 se deve em grande parte à resistência dos fabricantes de motores existentes, incluindo Mercedes e Ferrari, às regras de motores de 2026.

"Não estamos com medo", disse Mattia Binotto, da Ferrari, à Auto Motor und Sport quando perguntado sobre a resistência à Porsche e à Audi entrarem na F1.

"Mas a Ferrari está lá desde o início. Acho que sabemos o que é bom para o futuro da categoria. Os recém-chegados são bem-vindos, mas não devem ser mais relevantes do que a Ferrari", esbravejou.