Áudios mostram narcotraficante ‘Gordão do PCC’ dando ordens: 'Já sequestra ele'

Traficante conhecido como 'Gordão' se inspirava em Pablo Escobar, aponta investigação - Foto: Reprodução/TV Globo
Traficante conhecido como 'Gordão' se inspirava em Pablo Escobar, aponta investigação - Foto: Reprodução/TV Globo

O narcotraficante Anderson Lacerda Pereira, conhecido como “Gordão”, ligado ao Primeiro Comando da Capital (PCC), e um dos traficantes mais procurados do Brasil, agia com extrema violência com aqueles que o estivessem atrapalhando. Ele foi preso na última terça-feira (6), em São Paulo.

Em áudios obtidos pela Polícia Civil (Denarc) e revelados pelo Fantástico, da TV Globo, neste domingo (11), Gordão, que tinha Pablo Escobar como inspiração, dava ordens para atropelar e sequestrar seus desafetos.

“Já sequestra ele, mano. Pega lá o carro bomba, atropela”, diz o narcotraficante, em um dos áudios.

Fernando Santiago, delegado da Polícia Civil (Denarc), disse que com o mesmo celular de onde o traficante disparava as ordens também era usado para planejar suas ações.

“Ele gravava tudo, fotografava tudo e guardava tudo isso em seus dispositivos de mídia”, informou o delegado.

Além disso, foram encontrados no aparelho telefônico de Gordão, pesquisas sobre o narcotraficante mais conhecido do mundo.

“Ele sempre teve no Pablo Escobar uma figura de idolatria, então ele procurava sempre imitar todos os passos”, destaca Santiago.

Preso desde a semana passada, “Gordão”, foi transferido na última quinta-feira (8) do Centro de Detenção Provisória de Chácara Belém I para a Penitenciária II de Presidente Venceslau, sob forte esquema de segurança.

Gordão era um dos traficantes mais procurados do país e foi preso na segunda-feira em Poá. A Justiça manteve a prisão temporária após audiência de custódia.

O narcotraficante ganhou fama no mundo do crime em 2014, quando intermediou uma venda de cocaína entre Marcola, chefe do PCC, facção que atua de dentro e fora dos presídios no país, e uma temida máfia italiana.

Pereira é acusado de enviar cocaína para a Europa e, em 2017, foi condenado por tráfico internacional de drogas.

O homem também é acusado de ter montado 38 clínicas médicas e odontológicas na Grande São Paulo, além de ter adquirido 15 mansões no município de Arujá. Uma das unidades de saúde seria utilizada para atender integrantes do PCC, baleados em conflitos policiais.

Ele também é dono de um sítio paradisíaco em Santa Isabel, também na região metropolitana de São Paulo. Lá, Gordão mantinha um minizoológico com dois jacarés, araras, cavalos e um macaco.