Auditor do TCU que fez ‘relatório paralelo’ sobre covid admite que pai militar repassou dados para Bolsonaro

·2 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
  • Auditor do TCU que fez ‘relatório paralelo’ sobre covid admite que pai militar repassou dados para Bolsonaro

  • Servidor, cujo pai é amigo de Bolsonaro, já foi afastado da função

  • Presidente usou análise para divulgar notícia falsa de que TCU questionava mortes por covid-19 no Brasil

O auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo Costa e Silva foi afastado de suas funções após ter produzido um relatório com análises que levaram o presidente Jair Bolsonaro a divulgar notícia falsa de que o órgão questionava as mortes por covid-19 no Brasil.

De acordo com informações preliminares encaminhadas à corregedoria, o servidor confessou à sua chefia imediata que ele foi o autor das análises e que comentou o assunto com o pai, que é militar e amigo pessoal de Bolsonaro. O pai teria enviado o texto ao presidente.

Leia também

A corregedoria, comandada pelo ministro Bruno Dantas, encaminhará um relatório à presidente do TCU, Ana Arraes, propondo a abertura de um processo disciplinar contra Costa e Silva para que a investigação possa ser aprofundada, com a tomada de depoimentos dos envolvidos.

Alexandre atua na Secretaria de Controle Externo do TCU da Saúde. Ele é de Jundiaí (SP), e as famílias dele e de Bolsonaro são próximas, tanto que ele chegou a ser indicado para uma diretoria do BNDES em 2019. Mas a posse foi barrada pelo próprio TCU, alegando conflito de interesses, já que o tribunal fiscaliza o banco.

Na segunda-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro afirmou a apoiadores que o TCU questionava as mortes por covid-19 no Brasil. - o que é mentira.

"Em primeira mão aí para vocês. Não é meu. É do tal de Tribunal de Contas da União. Questionando o número de óbitos no ano passado por Covid. E ali o relatório final não é conclusivo, mas em torno de 50% dos óbitos por Covid ano passado não foram por Covid, segundo o Tribunal de Contas da União", diz Bolsonaro na conversa com apoiadores.

"Esse relatório saiu há alguns dias. Lógico que a imprensa não vai divulgar. Eu tenho três jornalistas que eu converso, não vou falar o nome deles, que são pessoas sérias, né. E já passei para eles. E devo divulgar hoje à tarde. E como é do Tribunal de Contas da União, ninguém queira me criticar por causa disso".

Depois que o TCU divulgou uma nota desmentindo o questionamento, Bolsonaro admitiu que tinha errado, mas insistiu em atacar governadores e pedir apuração sobre essa suposta “supernotificação” de mortes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos