Augusto Aras afasta procurador acusado de vazamento na Operação Greenfield

FREDERICO VASCONCELOS
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O procurador-geral da República, Augusto Aras, afastou de suas funções no Ministério Público Federal o procurador Ângelo Goulart Villela com suspensão do pagamento de vencimentos e vantagens pecuniárias. Portaria de Aras, publicada nesta segunda-feira (8), cumpre liminar em ação civil que tramita perante a 4ª Vara Civil Federal de São Paulo. O procurador foi acusado de violação ao dever de sigilo funcional por vazar informações em troca de propina. Em maio de 2020, por nove votos a um, o Conselho Superior do MPF aplicou a pena de demissão de Villela. Em 2017, quando integrava a força-tarefa Greenfield, ele teria revelado informações sobre investigações envolvendo o grupo empresarial J&F. Segundo informou O Globo na época, a defesa de Villela alegou que o procurador era inocente, pois “o material enviado ao advogado do grupo J&F não era sigiloso e visava a convencê-los para celebração de um acordo de delação premiada, o que efetivamente acabou ocorrendo depois”.