Aumenta o número de consumidores que pretendem parcelar IPTU, IPVA e outros gastos

·2 min de leitura

O ano de 2022 chegou e, com ele, os boletos de IPTU, IPVA e material escolar, entre outros. Sondagem feita pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ) com consumidores fluminenses sobre essas despesas de início de ano mostra que houve aumento do número de consumidores que pretendem parcelar essas despesas, além de diminuição do índice de pessoas que revelam ter feito uma reserva para quitação destes gastos no ano anterior.

Do total, 38% dos entrevistados que possuem essas despesas separaram um valor para pagamento ao longo de 2021 – nos estudos dos últimos anos, este percentual foi de 52,3% e 41,8%, respectivamente.

Dos 79,4% dos pesquisados que pagam IPTU, 69,2% pretendem parcelar o tributo, e outros 30,8% quitarão à vista. Em 2021, o número de consumidores que pretendiam parcelar era menor: 62,2%, e os que iriam pagar à vista equivaliam a 37,8% dos entrevistados.

Entre os entrevistados que possuem gasto com IPVA, 65% pretendem parcelar e 35% pagarão de uma única vez. No ano passado, esses dados correspondiam a 56,8% (parcelado) e 43,2% (à vista).

Do total de entrevistados, 36,4% dos consumidores têm filhos em idade escolar. Dentro desse percentual 58,2% pretendem pagar à vista os gastos com matrícula escolar e 41,8% devem parcelar esse gasto. Em comparação com 2021, esses percentuais eram de 57,3% (à vista) e 42,7% (parcelado).

Já sobre material escolar, das pessoas que têm esse gasto, 65,9% pretendem parcelar e 34,1% devem pagar à vista. Em 2021, esses dados eram de 59,1% (parcelado) e 40,9% (à vista).

A sondagem ocorreu entre os dias 11 e 18 de janeiro e contou com a participação de 506 consumidores do Estado do Rio de Janeiro.

Reservas para despesas

Em relação aos consumidores que possuem esses gastos de início de ano, 62% afirmam que não costumam guardar uma reserva ao longo do ano anterior para quitar esse tipo de despesa, seguidos por 38% que preferem ter um valor guardado para pagamento desses gastos.


Levantamento: Mais de 60% dos reajustes salariais dos trabalhadores ficaram abaixo da inflação em 2021

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos