Aumenta a procura por carvão

Ingo Engel é um dos últimos comerciantes de carvão da cidade de Leipzig (Saxônia, Alemanha). Na verdade, há muito tempo que ele queria estar reformado. Mas, agora, ele e os tijolos de carvão têm muita procura.

A guerra na Ucrânia e os receios de escassez de gás deram um renascimento inesperado ao carvão.

"Os pedidos triplicaram. O telefone não para. É uma loucura. É compreensível, estão com medo. A maioria das pessoas, felizmente, deixou um fogão a carvão dentro de casa. E acho que ainda é uma opção mais barata em comparação com o petróleo ou gás," revela o comerciante de carvão em Leipzig, Ingo Engel

O carvão, o assassino do clima que se acreditava estar morto, tem grande procura novamente. Na fábrica Schwarze Pumpe em Lausitz, as linhas de produção estão a toda velocidade. A produção é 24 horas sobre 24, mesmo nos meses de verão. As pessoas querem carvão para o próximo inverno.

"Estou abastecido, por enquanto. Não tenho grandes preocupações para o inverno," afirma um cliente.

Em Leipzig, na época da RDA, havia quase 30 vendedores de carvão, agora são apenas quatro. Para Engel, por enquanto, a reforma está fora de questão. Vai continuar por quanto tempo?

"Acho que enquanto Putin não estiver mentalmente à altura. Seguramente vai continuará até ao final do ano e no próximo ano, Veremos," explica Ingo Engel.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos