Aumento nos casos de covid por causa da época do ano, diz Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou com jornalistas após tomar a quarta dose da vacina contra a covid-19. Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images.
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou com jornalistas após tomar a quarta dose da vacina contra a covid-19. Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images.
  • Brasil registra aumento de casos de covid-19

  • Especialistas afirma que alta nos casos tem relação com relaxamento das medidas de proteção

  • Ministro volta a falar contra a obrigatoriedade das máscaras

Em meio à alta de casos de covid-19 no Brasil, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o aumento de infecções ocorre por conta da estação do ano. Ele afirmou, ainda, que o sistema de Saúde do país não está comprometido.

"Houve um aumento de casos, primeiro porque a gente vive a época do outono-inverno, é uma sazonalidade, não só aumentam os casos de covid, mas também pode aumentar das outras viroses respiratórias, influenza, adenovírus, e nisso de alguma maneira causou pressão sobre o sistema de saúde", disse Queiroga à imprensa, após receber a 4ª dose da vacina contra a doença, em Brasília.

Para especialistas, no entanto, o aumento no número de casos de infecções têm relação, também, com o relaxamento de medidas de proteção.

“A proximidade com a temporada de inverno, em conjunto com o relaxamento das medidas protetivas, pode agravar ainda mais esse quadro”, disse Sérgio Mena Barreto, CEO da Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), que reúne as 26 maiores redes de farmácias do país.

Nesta segunda-feira (6), foram registrados 4.591 novos casos da doença no país. No total, o Brasil já teve 31.153.765 testes positivos de covid-19 e perdeu 667.056 vidas desde o começo da pandemia.

O ministro disse ainda que o Brasil não está mais em alerta de emergência de saúde pública, que se encerrou no dia 17 de abril.

“Na última semana epidemiológica houve queda de 12% no número de óbitos. O vírus continua, sofre mutações, a doença não acabou, mas a emergência de saúde pública não tem mais”, disse o ministro aos jornalistas presentes.

Ministro insiste na não obrigatoriedade do uso de máscara

Queiroga ainda reforçou sua posição de ser contra a obrigatoriedade no uso de máscaras, que tem voltado a alguns estados.

"Com relação ao uso de máscaras, desde o início nós fomos contra a obrigatoriedade, mas se as pessoas querem usar a máscara, pode usar. Se tivesse a eficiência que desejamos ela teria que ser utilizada de forma correta".

"(...) O tipo de máscara, por exemplo, a máscara N95 [ou PFF2], essa é a máscara que protege mais, e ela precisa ser utilizada de maneira correta. Mas às vezes as pessoas usam a máscara de tecido, no outro dia com a mesma máscara, também as máscaras cirúrgicas, tem que trocar a cada 3 horas para ser eficiente [?] Então aqueles que se sentem confortáveis e querem usar a máscara, que usem”, completou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos