Ausentes de desfile, Pacheco e Lira exaltam Bicentenário da Independência no Twitter

Lira e Pacheco participam de sessão no Congresso

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - Os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), exaltaram cada um a seu modo o Bicentenário da Independência do Brasil no Twitter, ainda que eles não tenham participado presencialmente do desfile cívico-militar ocorrido na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Pacheco, que está na capital do país, defendeu manifestações pacíficas.

"As comemorações deste 7 de Setembro, que marca (os) 200 anos da Independência do Brasil, precisam ser pacíficas, respeitosas e celebrar o amor à pátria, à democracia e o Estado de Direito", disse o presidente do Senado.

Em meio a temores em Brasília de que os atos de 7 de Setembro saiam do campo institucional e ganhem ar eleitoral ou, pior, assumam tom golpista, Pacheco decidiu que não iria participar dos eventos no dia.

Pacheco não explicou os motivos, mas usou como contraponto a sessão solene a ser realizada no Congresso Nacional na quinta-feira para marcar o Bicentenário, que, segundo ele, será uma "solenidade verdadeiramente cívica".

Aliado de Bolsonaro, Arthur Lira --que busca a reeleição como deputado federal-- também não compareceu e preferiu usar o feriado para participar de um ato de campanha em Maceió sobre o 7 de Setembro. Ainda assim, o presidente da Câmara usou as redes sociais para exaltar a data.

"Há 200 anos, começava a nascer o Brasil de hoje, com um futuro de desafios, decisões difíceis mas necessárias e grandes conquistas a alcançar. O 7 de setembro de 200 anos atrás continua ecoando nas ações e nos compromissos de todos! O Brasil independente é sempre o que olha para frente", afirmou.

Até o início da tarde, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, não havia se manifestado sobre os atos do 7 de Setembro. Ele também não participou da cerimônia, mas estava em Brasília acompanhando o dia. No ano passado, na véspera do feriado, o prédio do STF quase foi alvo de um ataque de partidários do presidente chegaram muito próximo da instalação. Neste ano, houve um isolamento maior da área.

Desafeto de Bolsonaro, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, exaltou no Twitter a data comemorativa.

"O Bicentenário de nossa Independência merece ser comemorado com muito orgulho e honra por todos os brasileiros e brasileiras, pois há 200 anos demos início à construção de um Brasil livre e a histórica marcha pela concretização de nosso Estado Democrático de Direito", afirmou.