Austrália e Nova Zelândia têm recordes de casos em surtos da variante Delta

·2 minuto de leitura

SYDNEY E AUCKLAND - A Austrália e a Nova Zelândia, países da Oceania que adotaram a estratégia de Covid zero, visando eliminar totalmente o vírus de seus territórios, estão tendo dificuldade para conter surtos da variante Delta. Nesta quinta-feira, os novos casos diários de Covid-19 da Austrália superaram a marca de mil pela primeira vez desde que a pandemia começou, chegando a 1.117. Na Nova Zelândia, foram registrados 68 novos casos nas últimas 24h, um recorde desde abril de 2020.

No caso neozelandês, uma infecção provocada pela variante mais contagiosa, que apareceu em Auckland na semana passada, pôs fim a seis meses sem registro de infecções locais no país. Já Sydney, maior cidade australiana, concentra a maior parte dos casos no país e ainda está lutando para acabar com o surto que começou no final de junho, mesmo depois de dois meses de quarentena. Nos dois países, que enfrentaram bem a primeira onda da pandemia, em 2020, a campanha de vacinação está atrasada em relação às dos demais países ricos.

Nesta semana, hospitais de Sydney montaram tendas de emergência ao ar livre para ajudar a lidar com um aumento de pacientes. A primeira-ministra do estado de Nova Gales do Sul, Gladys Berejiklian, disse que as autoridades quadruplicaram o número de ventiladores de terapia intensiva no estado para dois mil.

Embora o sistema esteja "sob pressão", ele pode suportar a crise atual quando as taxas de vacinação aumentarem, disse ela. Cerca de 25% da população australiana foi totalmente vacinada, enquanto pouco mais de 44% receberam pelo menos uma dose.

Das 116 pessoas internadas em tratamento intensivo em Nova Gales do Sul, 102 não estão vacinadas. Três novas mortes foram relatadas, incluindo um homem de 30 anos que morreu em casa, levando os óbitos do atual surto para 79 e média móvel de óbitos para dois.

A Delta ameaça minar o sucesso inicial do combate ao coronavírus na Austrália, país que manteve seus números totais da pandemia relativamente baixos, com 47.840 casos e 989 mortes. Além de Sidney, a segunda maior cidade do país, Melbourne, e a capital, Camberra, também estão em quarentena, com mais da metade dos 25 milhões de habitantes do país sob rigorosas ordens de permanência em casa.

Na Nova Zelândia, a situação fez com que a primeira-ministra Jacinda Ardern reconhecesse que a variante Delta levará a mudanças na estratégia do combate à doença, como a aplicação mais precoce de quarentenas e uma testagem mais ampla. Ela afirmou que o objetivo continua sendo levar a zero o número de infectados no país, que desde o início da pandemia registrou apenas 3.227 casos.

A Nova Zelândia não registra mortes em razão da doença desde 15 de fevereiro e, do começo da pandemia até hoje, 26 pessoas morreram.

Segundo Ardern, vias alternativas poderão ser examinadas quando a taxa de vacinação aumentar. Hoje, 38% da população receberam ao menos uma dose da vacina e 20% estão totalmente imunizadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos