Austrália pode ter encontrado destroços do avião ao sul do Oceano Índico

Membros da aviação da Malásia buscam destroços em Malaca
A procura de 13 dias pelo voo 370 da Malaysia Airlines parece estar próxima do fim. De acordo com a imprensa australiana, o primeiro-ministro do país, Tony Abott, fez esta afirmação para os parlamentares em Canberra.

Leia também
China: não há evidências de que avião entrou no país
FBI se envolve diretamente em investigação de avião malaio desaparecido

O Navio Orion espera chegar ao sul do Oceano Índico na madrugada desta quinta-feira (período da tarde na Austrália) e confirmar que os objetos encontrados são do voo MH 370. Abott afirmou que os destroços estão em um lugar de difícil acesso e podem não ser do avião. Nas próximas horas, uma coletiva de imprensa será convocada na Austrália para dar atualizações sobre o caso e com esta informação, as famílias já aguardam pela confirmação da queda da aeronave da Malaysia Airlines.

Durante discurso na capital australiana, Abott afirmou: 'Novas informações poderão dar luz na busca do voo MH 370. Encontramos dois objetos ao sul do Oceano Índico. Após análise de especialistas, aviões irão para a região e um navio está a caminho. Os objetos têm chances de serem da aeronove desaparecida'.

O anúncio do primeiro-ministro australiano coloca um pouco de esperança nas famílias, que aguardam o desfecho deste desaparecimento. Outras informações dão conta de um objeto um pouco mais ao norte do Oceano. Porém, como a distância entre eles é muito grande, a Austrália fará uma varredura ao sul. A imprensa do país aguarda uma coletiva para obter mais informações.



FBI analisa dados do simulador de voo de piloto

O FBI está ajudando autoridades malaias a investigar dados do simulador de voo que pertencia ao piloto do avião da Malaysia Airlines que desapareceu, após funcionários do governo da Malásia terem dito que parte dos registros foi apagada. Uma autoridade norte-americana, falando em condição de anonimato, disse que o FBI recebeu dados eletrônicos para analisar.

O ministro da Defesa da Malásia, Hishammuddin Hussein, disse mais cedo que investigadores tentavam restaurar arquivos deletados no mês passado do simulador que o piloto Zaharie Ahmad Shah usava em casa para ver se é possível obter alguma pista sobre o desaparecimento. Arquivos contendo registros de simulação feitos dentro do programa foram apagados no dia 3 de fevereiro.

Em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira, o secretário da Justiça dos EUA, Eric Holder, disse a repórteres que o FBI tem feito contato com investigadores malaios para oferecer ajuda. "Estamos em conversações constantes a respeito de como podemos ajudar e disponibilizaremos qualquer recurso ou expertise que tivermos e que possa ser usada", salientou Holder.

O Boeing 777 da Malaysia Airlines que fazia o voo MH370, de Kuala Lumpur a Pequim, desapareceu no dia 8 de março, com 239 pessoas a bordo. Fonte: Associated Press.

 

undefined

undefined