Austríaco morre de covid após se infectar de propósito para evitar vacina

·2 min de leitura
A nurse fills a syringe with the Comirnaty vaccine by Pfizer/BioNTech against the coronavirus SARS-CoV-2 on April 2, 2021 in Vienna, Austria, at the country's largest 'vaccination street' situated at the Austria Center. (Photo by JOE KLAMAR / AFP) (Photo by JOE KLAMAR/AFP via Getty Images)
A nurse fills a syringe with the Comirnaty vaccine by Pfizer/BioNTech against the coronavirus SARS-CoV-2 on April 2, 2021 in Vienna, Austria, at the country's largest 'vaccination street' situated at the Austria Center. (Photo by JOE KLAMAR / AFP) (Photo by JOE KLAMAR/AFP via Getty Images)
  • Um homem de 55 anos morreu na Áustria após ter ido a uma "festa da covid"

  • Ele tinha intenção de ser infectado de propósito com o coronavírus

  • Ele queria obter o chamado "passe verde" para poder trabalhar ou acessar áreas de lazer

Um homem de 55 anos morreu na Áustria após ter ido a uma "festa da covid" na cidade de Bolzano, no norte da Itália, com a intenção de ser infectado de propósito com o coronavírus.

Segundo o jornal italiano Il Dolomiti, ele queria obter o chamado "passe verde", cobrado por países da Europa, em que moradores devem ter um certificado de vacinação completa ou provarem que se recuperaram da covid-19 nos últimos seis meses para ter direito de trabalhar ou acessar áreas de lazer.

Em entrevista ao jornal Il Dolomiti, o médico Patrick Franzoni, coordenador da unidade anticovid de Bolzano, explicou que as "festas da covid" estão cada vez mais comuns na região dos Alpes, que inclui Áustria, França, Alemanha, Itália, Liechtenstein, Mônaco, Eslovênia e Suíça.

Ele detalhou que, nestes eventos, pelo menos um dos convidados já testou positivo para covid e os outros presentes, sabendo quem esta pessoa é, se aproximam dela para compartilhar drinques ou abraços.

"Nós recebemos mais de um relato vindo de médicos que trataram pacientes que admitiram ter sido infectados de propósito", reforçou Franzoni.

Até mesmo crianças seriam levadas pelos pais para as festas, com informações de pelo menos uma hospitalizada, informou o jornal italiano.

"Eles fazem isso para desenvolver anticorpos e obter o 'passe verde' sem vacinação. Existem consequências a longo prazo e até mesmo pessoas jovens podem parar no hospital", alertou o profissional após a morte do austríaco, que não teve a identidade divulgada.

A procuradoria de Bolzano abriu investigação para apurar as "festas da covid". Com informações do portal UOL.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos