Autor de livro revela razão para Maradona ser enterrado sem coração

·2 min de leitura
KAZAN, RUSSIA - JUNE 30: Diego Maradona is seen during the 2018 FIFA World Cup Russia Round of 16 match between France and Argentina at Kazan Arena on June 30, 2018 in Kazan, Russia. (Photo by Reinaldo Coddou H./Getty Images)
Diego Armando Maradona na Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Ídolo argentino faleceu aos 60 anos. Foto: (Reinaldo Coddou H./Getty Images)

O médico e jornalista argentino Nelson Castro lançou seu livro La salud de Diego: la verdadera historia na última semana. Na obra, Castro promete entregar detalhes inéditos sobre a morte, a autópsia e a briga judicial que envolve os herdeiros de Diego Armando Maradona. Castro, porém, faz uma revelação estrondosa: Maradona foi enterrado sem seu coração.

O autor explica que, além do processo judicial que trata de reconhecimento de paternidade de supostos 'filhos perdidos' de Maradona, houve uma conspiração de barra bravas para roubar o órgão de Diego durante o seu velório. Segundo Castro, "Houve um movimento de barra bravas do Gimnasia y Esgrima La Plata (clube que Maradona era técnico) que planejou extrair o coração. Isso aconteceu, não chegou a se concretizar por ser um ato de tremenda ousadia. Mas se detectou, então se extraiu o coração antes disso".

Leia também:

Para escrever o livro, o especialista em neurologia conversou com todas as fontes médicas que trataram de Maradona durante sua vida: "Todas as fontes médicas que tiveram algo com Maradona falaram e isso está no livro. Seguramente, será uma referência para sua futura biografia".

Sobre o peso do coração do ex-jogador, que foi divulgado inicialmente ter duas vezes o peso médio do órgão de um homem adulto, Castro afirmou que pesava meio quilo, o que define como "um coração muito grande". Normalmente, o órgão de uma pessoa normal pesa 300 gramas. O autor afirma, porém, que os problemas de saúde de Diego podem ter ajudado a aumentar o peso de seu coração. "Maradona o tinha grande por outras coisas, além de ser atleta, mas também pela insuficiência cardíaca que ele teve e pela patologia identificada no ano 2000", esta última, descoberta em Punta del Este, no Uruguai, quando Diego esteve em estado grave de saúde.

Durante o lançamento do livro, o médico também relatou que uma característica 'jogava contra' a saúde de Maradona: "Lamentavelmente, tinha um vício que foi destrutivo para ele. Maradona era viciado em tudo. O viciado não se cura, se recupera. O problema é que ele nunca aceitou iniciar uma recuperação constante, teve apenas alguns episódios de tentativas".

Por fim, Castro afirma que "Maradona era um homem que, entre seus vícios, estava o sexo, isso deve ser levado em conta. Tinha uma voracidade sexual impressionante. Era um homem rodeado de mulheres e estava permanentemente em busca de outras mulheres".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos