Autor de pedido de impeachment de Dilma declara voto em Lula no 1º turno

Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal, autores do impeachment de Dilma Rousseff; agora, ex-ministro vai apoiar Lula (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal, autores do impeachment de Dilma Rousseff; agora, ex-ministro vai apoiar Lula (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

O ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior, um dos autores do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), decidiu apoiar Lula no 1º turno das eleições. A informação foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Inicialmente, a ideia de Reale Júnior era apoiar um candidato da chamada “terceira via”, mas entendeu que a prioridade é que o petista vença no dia 2 de outubro, impedindo um segundo turno na eleição presidencial.

“Sem perspectiva de vitória da terceira via, é importante que Lula vença no primeiro turno, para se impedir ação desesperada de Bolsonaro. Decidir por Lula é consequência de saber que assim se evitará ataques à democracia, à dignidade da pessoa humana e ao meio ambiente, que, com certeza, sucederão com maior intensidade em novo mandato de Bolsonaro”, disse o ex-ministro ao Estadão.

Miguel Reale Júnior é mais um dos ex-ministros de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) a declarar apoio a Lula no 1º turno. Aloysio Nunes Ferreira, ex-chanceler, e José Gregori, ex-ministro dos Direitos Humanos e da Justiça, são outros que declararam voto no petista. Diretor da Fundação FHC, Sergio Fausto seguiu pelo mesmo caminho.

Oficialmente, a candidata apoiada pelo PSDB é Simone Tebet (MDB), cuja vice é a tucana Mara Gabrilli.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: