Autor do massacre do 4 de julho nos EUA responderá a mais de 100 acusações

O jovem de 21 anos apontado como responsável pelo ataque a tiros durante um desfile de 4 de julho em Highland Park, perto de Chicago, EUA, foi formalmente acusado nesta quarta-feira de 117 crimes, incluindo homicídio, de acordo com um comunicado das autoridades.

Robert Crimo, que tem histórico de doença mental, abriu fogo em um desfile do Dia da Independência em um movimentado subúrbio de Chicago, matando sete pessoas e ferindo dezenas.

Crimo, que estava disfarçado de mulher durante o tiroteio, foi preso algumas horas depois. Mais tarde, ele confessou o crime e disse que planejava outro ataque.

O jovem foi enquadrado nesta quarta-feira em 21 acusações de homicídios em primeiro grau, bem como em várias tentativas de homicídio e agressões agravadas, segundo os promotores.

"Nossa investigação continua e nossos especialistas em vítimas estão trabalhando para apoiar todos os afetados por este crime", informou Eric Rinehart, promotor de Lake County, em nota.

Crimo deve comparecer a um tribunal na próxima semana, quando as acusações serão lidas oficialmente para ele.

O tiroteio de 4 de julho foi o último massacre de armas em grande escala registrado nos Estados Unidos, onde quase 40 mil mortes por armas de fogo ocorrem a cada ano, de acordo com o Gun Violence Archive.

O caso acendeu ainda mais um tenso debate nacional sobre o controle de armas e levantou questões sobre como alguém com histórico de problemas de saúde mental e comportamento ameaçador poderia comprar uma arma legalmente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos