Autoridade da federação francesa pede que presidente renuncie após comentários sobre Zidane

Presidente da Federação Francesa de Futebol, Noel Le Graet, antes da entrega da Bola de Ouro

PARIS (Reuters) - O chefe do Comitê Nacional de Ética da Federação Francesa de Futebol (FFF) pediu que o presidente do órgão, Noel Le Graet, renuncie ao cargo.

Patrick Anton expôs sua opinião nesta terça-feira, um dia depois de Le Graet se desculpar com o craque francês Zinedine Zidane por declarações sobre o ex-técnico do Real Madrid que atraíram a ira de jogadores, políticos e do clube espanhol.

Zidane era um dos favoritos para assumir o cargo de técnico da França caso Didier Deschamps deixasse o posto, mas o contrato do atual treinador foi renovado depois que ele levou a seleção à final da Copa do Mundo no mês passado, em que a equipe perdeu para a Argentina.

Quando questionado se Zidane, vencedor da Copa do Mundo com a França em 1998 e um ícone nacional, agora treinaria a seleção brasileira, Le Graet disse ao RMC: "Eu não dou a mínima, ele pode ir para onde quiser".

Anton disse ao jornal francês L'Equipe: "Le Graet fez comentários que mostram que ele perdeu um pouco de sua lucidez. Ele é um homem que está cansado, que precisa seguir em frente".

"No que diz respeito ao presidente da federação, embora obviamente não pretendamos levar o assunto a um comitê disciplinar, podemos apenas pedir que ele renuncie no melhor interesse do futebol."

O atacante francês Kylian Mbappé também expressou sua desaprovação aos comentários de Le Graet, dizendo no Twitter: "Zidane é a França, não desrespeitamos a lenda assim".

(Reportagem de Manasi Pathak em Bengaluru)