Autoridade da ONU incentiva jovens ativistas climáticos a entrarem em governos

Laurie Goering
·1 minuto de leitura

Por Laurie Goering

(Thomson Reuters Foundation) - Uma geração de jovens ativistas ansiosos para colocar o aquecimento global e as energias limpas na pauta deveria buscar empregos em governos para fazer com que metas climáticas atrasadas voltem aos trilhos, disse uma autoridade de energia graduada da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira.

"Não podemos continuar fazendo as coisas de fora", disse Damilola Ogunbiyi, copresidente de Energia da ONU e executiva-chefe de Energia Sustentável para Todos (SEforAll), em uma cúpula virtual para jovens a respeito da conquista do acesso à energia limpa universal.

Como o mundo está ficando para trás nas metas para levar energia limpa e acessível a bilhões de pessoas a mais até 2030, "mudar as mentes de líderes tem que acontecer dentro e fora do governo", disse Ogunbiyi, ex-diretora de eletrificação rural da Nigéria.

Amina J. Mohammed, vice-secretária-geral da ONU, disse que quase 790 milhões de pessoas de todo o mundo ainda carecem de acesso a qualquer forma de eletricidade e que 2,8 bilhões continuam a arriscar a saúde cozinhando com combustíveis sujos.

Cerca de um quarto das instalações de saúde da África também carecem de acesso a eletricidade – um grande problema agora que as autoridades de saúde tentam distribuir vacinas contra o coronavírus, muitas das quais precisam de refrigeração, disse ela à cúpula.

O pior é que, apesar de governos planejarem gastar trilhões de dólares em estímulos contra a pandemia, tanto governos ricos quanto pobres continuam a direcionar dinheiro demais para combustíveis fósseis poluentes que impulsionam a mudança climática, disse ela.