Autoridade ucraniana diz que sanções da UE contra Rússia ainda são insuficientes

Bandeiras da União Europeia do lado de forada sede da Comissão Europeia em Bruxelas

Por Christina Thykjaer

MADRI (Reuters) - As últimas sanções da União Europeia contra a Rússia, que proíbem a maioria das importações de petróleo russo, "não são suficientes" e o ritmo das sanções até agora tem sido muito lento, disse um alto funcionário do gabinete do presidente ucraniano em um discurso em Madri nesta terça-feira.

Nas represálias mais duras do bloco contra Moscou desde a invasão da Ucrânia três meses atrás, uma cúpula da UE em Bruxelas concordou na segunda-feira com a imposição de medidas que as autoridades disseram que cortariam imediatamente mais de dois terços das importações de petróleo da Rússia, e 90% até o final do ano.

"Se você me perguntar, eu diria muito lento, muito tarde e definitivamente não o suficiente", disse Ihor Zhovkva, subchefe do gabinete do presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

A Ucrânia também não está satisfeita com o ritmo das entregas de armas do Ocidente, disse ele.

"Definitivamente não estamos satisfeitos", disse Zhovkva em resposta a uma pergunta após seu discurso.

"Se estivéssemos satisfeitos, teríamos iniciado imediatamente a libertação de Mariupol e jogado fora as forças russas de Donbas", disse ele. "Nós acreditamos em promessas."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos