Autoridades decretam confinamento de seis dias na cidade australiana de Adelaide

·1 minuto de leitura
Fila em supermercado de Adelaide depois do anúncio do confinamento de seis dias
Fila em supermercado de Adelaide depois do anúncio do confinamento de seis dias

O estado da Austrália Meridional decretou um confinamento de seis dias a partir desta quarta-feira em Adelaide, a segunda maior cidade do país, para frear um foco de coronavírus.

Escolas, restaurantes e fábricas permanecerão fechados e os moradores confinados em suas casas.

A medida foi decidida após dois novos casos relacionados com um foco de covid-19 detectado em um hotel de Adelaide, onde as pessoas que chegam ao país procedentes do exterior permanecem confinadas.

Nesta quarta-feira, a cidade registrava 22 casos.

Casamentos e enterros também foram proibidos. O uso de máscara é obrigatório em público no estado, que havia registrado poucos casos desde abril.

"Atacamos forte e rápido. O tempo é curto e devemos agir de maneira rápida e firme. Não podemos esperar o agravamento da situação", afirmou o primeiro-ministro do estado, Steven Marshall.

A secretária de Saúde, Nicola Spurrier, destacou que as medidas extremas devem permitir ao estado de 1,8 milhão de habitantes buscar os contatos e interromper a cadeia de transmissão.

Na segunda-feira, quando foram registrados 17 casos, milhares de pessoas que estiveram em contato com os contagiados receberam ordem de isolamento.

Os voos internacionais para a cidade também foram suspensos.

As autoridades temem que o novo foco afete pessoas de risco: um guarda de uma prisão e funcionários de casas de repouso testaram positivo.

No conjunto, a Austrália conseguiu controlar a pandemia, com pouco mais de 27.700 casos e 907 mortes até o momento.

hr/arb/jah/juf/ces/af/dga/fp