EUA se despedem de Barbara Bush - "a avó de todos" - em funeral solene

Austin (EUA), 21 abr (EFE).- Os Estados Unidos ofereceram neste sábado seu último adeus à ex-primeira-dama, Barbara Bush, falecida em 17 de abril aos 92 anos, em um funeral solene realizado em Houston (Texas), no qual familiares, amigos e representantes da política do país lembraram "uma vida dedicada aos outros".

Na Igreja Episcopal de St. Martin, lugar que ela e o ex-presidente George H.W. Bush (1989-1993) frequentavam com regularidade, estiveram ao lado da família Bush a primeira-dama Melania Trump, o ex-presidente Barack Obama (2009-2017) e sua esposa Michelle, e o ex-presidente Bill Clinton (1993-2001) e sua esposa Hillary, entre outras personalidades.

O atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não quis comparecer ao ato para evitar "interrupções" e "respeitar a família (Bush) e amigos em um momento de intimidade", segundo explicou a Casa Branca em comunicado.

"Estou a caminho da Casa Branca do Sul (Mar-a-Lago, sua residência na Flórida) para assistir ao serviço fúnebre de Barbara Bush. A primeira-dama Melania chegou a Houston para oferecer nosso respeito. Será um dia lindo", publicou Trump horas antes no Twitter.

Um dos filhos de Barbara, o ex-governador da Flórida, Jeb Bush, agradeceu em nome da família o apoio e "as milhares de condolências recebidas" de todos os setores da sociedade.

"Nossa mãe foi a professora mais importante de nossa vida, sempre nos dizia com seu caráter amável, mas firme: sentem-se, façam suas obrigações, não se queixem, sejam honestos, não enganem e amem a Deus com toda sua alma", disse Jeb Bush.

O segundo filho da ex-primeira-dama lembrou que sua mãe encheu suas vidas "com felicidade e lições", como fazia com as outras pessoas porque "foi bela até o último dia da sua vida".

Emocionado, Jeb Bush encerrou seu discurso com uma frase cheia de sentimentos, na qual também lembrou de sua irmã falecida em 1953, com apenas três anos de idade, que sofria de leucemia.

"Mamãe, voltaremos a estar com você, com Robin e com todos os filhos de Deus. Te amo", concluiu Jeb com a voz trêmula.

Jenna Bush Hager, uma das netas da ex-primeira-dama e filha do ex-presidente George W. Bush estava entre as mais emocionadas, e não parou de chorar ao lado de suas primas durante a leitura de sua homenagem.

Além das leituras de homenagens feitas por suas netas, um dos momentos de maior destaque foi o discurso do historiador presidencial Jon Meacham, que diminuiu um pouco a tensão do momento relatando lembranças divertidas de conversas que manteve com a ex-primeira-dama.

Meacham louvou também a história de amor entre Barbara e George H.W. Bush, que estiveram juntos durante mais de 70 anos.

"Barbara era uma pessoa que nunca se queixava, apesar da difícil época em que viveu, com um marido combatente na Segunda Guerra Mundial, ela sempre transmitia amor e força", disse Meacham.

O funeral terminou com uma homilia do reverendo Russell Levenson, que foi acompanhada por uma versão de Ode à Alegria, de Beethoven, para a saída do caixão da ex-primeira-dama, que deixou o templo seguido por sua família, com o patriarca George H.W. Bush à frente, ajudado por seu primogênito, o também ex-presidente George W. Bush (2001-2009), já que, aos 93 anos, o pai se locomove em cadeira de rodas.

A comitiva se transferiu para a Biblioteca Bush no College Station, a 160 quilômetros de Houston, onde descansarão os restos mortais de Barbara Bush.

Nos últimos dias, milhares de pessoas mostraram seu respeito à ex-primeira-dama por uma vida de "graça, compaixão e bondade" que inspirou grande parte da sociedade. EFE