Autoridades dos EUA endurecem normas sobre armas curtas modificadas

Autoridades dos Estados Unidos anunciaram, nesta sexta-feira (13), o endurecimento das regras sobre "estabilizadores" e outros acessórios usados para converter pistolas e revólveres em armas longas, consideradas especialmente perigosas.

As pistolas modificadas estarão agora sujeitas à mesma normativa que as "escopetas de cano curto" que, desde 1934, estão sujeitas a impostos e controles mais rígidos do que outras armas de fogo, disse o procurador-geral dos Estados Unidos, Merrick Garland, em entrevista coletiva.

Naquele momento, os legisladores "compreenderam que essas armas tinham uma combinação mortal: são mais fáceis de esconder do que os rifles, e mais potentes do que as pistolas", afirmou.

Mas "a indústria armamentista leva tempo tentando burlar as leis federais vendendo estabilizadores que permitem converter as pistolas em rifles de cano curto", evitando também as restrições, disse o presidente Joe Biden em comunicado.

Segundo o Departamento de Justiça, desde 2015 foram vendidos pelo menos 3 milhões de estabilizadores. Seus proprietários dispõem agora de 120 dias para declará-los às autoridades sem pagar impostos.

Também podem removê-los das pistolas em que estavam instalados, ou aumentar os canos dessas pistolas para convertê-las em rifles propriamente ditos.

Essas regras foram propostas pela primeira vez em 2020, durante o governo de Donald Trump, mas foram retiradas rapidamente depois que o lobby das armas de fogo e vários funcionários republicanos protestaram. Garland, no entanto, as reintroduziu em 2021.

Nesta sexta-feira, o grupo de pressão Gun Owners of America anunciou que tinha planos de empreender ações na Justiça para bloquear a medida.

chp/rle/atm/yow/rpr/lb