Autoridades do Hamas executam cinco palestinos em Gaza

Por Nidal al-Mughrabi

GAZA (Reuters) - Os islamistas do Hamas, que governam a Faixa de Gaza, executaram cinco palestinos neste domingo, dois deles por acusações de espionagem para Israel que datam de 2015 e 2009, disse o Ministério do Interior do enclave, também controlado pelo Hamas.

As execuções, por enforcamento ou fuzilamento, foram as primeiras em território palestino desde 2017. Casos anteriores de pena de morte em Gaza atraíram críticas de grupos de direitos humanos.

O comunicado do ministério não forneceu os nomes completos de nenhum dos homens condenados. Disse que três foram condenados por assassinato. Os dois condenados por espionagem, com 44 e 54 anos, passaram informações a Israel que levaram à morte de palestinos, afirmou.

O gabinete do primeiro-ministro de Israel, que supervisa os serviços de inteligência do país, se recusou a comentar.

“A execução foi realizada após a conclusão de todos os procedimentos legais. As decisões foram finais, com implementação obrigatória, após todos os condenados receberem direitos completos para se defenderem”, disse o comunicado.

A Reuters não conseguiu corroborar essa informação em um primeiro momento.