Autoridades na Romênia apreendem US$4 mi em bens no caso Andrew Tate

BUCARESTE (Reuters) - Autoridades romenas disseram ter apreendido bens e dinheiro no valor de 18 milhões de leus (ou 3,95 milhões de dólares) como parte de uma investigação criminal sobre suposto tráfico humano que levou à prisão da polêmica celebridade digital Andrew Tate.

Na semana passada, a Agência Nacional de Gestão de Bens Apreendidos tomou sob custódia 29 bens, incluindo veículos de luxo e relógios, e grandes quantias em dinheiro em diferentes moedas, informou o órgão em comunicado na noite de sábado.

No sábado, um repórter da Reuters observou diversos carros, incluindo veículos das marcas Rolls-Royce, BMW e Mercedes-Benz, sendo retirados da casa de Tate nos arredores da capital Bucareste para serem transportados para um depósito.

Andrew Tate, seu irmão e duas mulheres romenas suspeitas foram detidos no último dia 29 de dezembro sob a acusação de formar uma gangue criminosa para explorar sexualmente seis mulheres. Eles negam as acusações.

Os detidos contestaram o mandado de prisão de 30 dias, mas o tribunal de apelações de Bucareste rejeitou a contestação esta semana e disse que eles deverão permanecer sob custódia policial.

Andrew Tate, um ex-participante do reality show Big Brother no Reino Unido, ganhou notoriedade por comentários misóginos e pelo discurso de ódio na internet.

Seus comentários o fizeram ser banido de todas as principais plataformas de mídia social, embora sua conta no Twitter tenha se tornado ativa novamente em novembro, depois que Elon Musk adquiriu a plataforma.

Tate tem nacionalidade americana e britânica.

(Por Octav Ganea)