Autoridades pedem a 500 milhões de pessoas no mundo que fiquem em casa

Mulher caminha em praça vazia de Marrakech

Ao menos 500 milhões de pessoas foram orientadas a ficar em casa pelas autoridades, em todo o mundo, para deter o avanço da pandemia de COVID-19, segundo levantamento realizado pela AFP.

Alguns países adotaram medidas coercitivas e outros optaram apenas por recomendações.

- Confinamento obrigatório -

A província chinesa de Hubei e sua capital, Wuhan, onde surgiu o novo coronavírus, estão isoladas do mundo desde o final de janeiro. A quarentena continua, mas desde 14 de março as restrições de deslocamento foram suavizadas, para alívio dos mais de 50 milhões habitantes da zona.

Após Hubei, ao menos oito países adotaram medidas coercitivas para confinar o conjunto de sua população: Itália (10 de março), Espanha (14), Líbano (15), República Tcheca (16), França, Israel e Venezuela (17), e Bélgica (18 de março).

No total, estes oito países reúnem 240 milhões de habitantes.

Na maioria deste territórios, ainda é possível sair para trabalhar, comprar produtos de primeira necessidade ou receber atenção médica.

Em menor escala, alguns países adotam medidas de confinamento específicas, como a Bulgária, que colocou em quarentena a cidade de Bansko, onde se encontra a maior estação de esqui do país, ou o Egito, que confinou todos os empregados do setor turístico na província do Mar Vermelho.

- Confinamento recomendado -

Ao menos quatro países - Alemanha, Áustria, Reino Unido e Irã - exortaram a população a limitar ao máximo seus deslocamentos e contatos, mas não adotaram medidas coercitivas. Estes quatro países têm cerca de 240 milhões de habitantes.

Mas tais apelos tem efeito limitado.

Na Alemanha, onde se organizaram várias “CoronaParties” em parques, a chanceler Angela Merkel pediu nesta quarta-feira à população que respeite as orientações sanitárias, “indispensáveis para salvar vidas”.

As autoridades iranianas, por sua parte, lamentaram que apesar das advertências, ainda há iranianos que não levam a “sério” a situação, e que os mercados estão “cheios”, nas vésperas do Ano Novo Persa, na sexta-feira.

- Toque de recolher -

Ao menos seis países ou territórios adotaram toques de recolher, proibindo deslocamentos entre o final da tarde e o início da manhã: Tunísia (18H00-06H00), Bolívia (17H00-05H00), Sérvia (20H00-05H00), o estado americano de Nova Jersey (20H00-05H00), o território americano de Porto Rico (21H00-05H00) e Manila, a capital das Filipinas (20H00-05H00).

Todos estes territórios somam 50 milhões de habitantes.