Autoridades ucranianas investigam circunstâncias de queda de helicóptero que fez 14 mortos

As tragédias humanas multiplicam-se na Ucrânia.

A queda de um helicóptero, esta quarta-feira, em Brovary, a leste de Kiev, provocou a morte de pelo menos 14 pessoas e fez 25 feridos.

O ministro do Interior da Ucrânia, Denys Monastyrsky, foi uma das vítimas mortais.

Há ainda a lamentar a morte de uma criança porque o aparelho, um Super Puma EC-225, caiu perto de uma creche e de um edifício residencial. Outras 11 crianças ficaram feridas.

Glib Kasyan acabou por ajudar algumas crianças. O jovem estudante do ensino secundário disse: "ajudámos três crianças. Uma tinha queimaduras na cabeça. Verificámos se ele estava bem. Outra era uma menina. Tinha cortes e ferimentos. Tratámos as feridas com água oxigenada, fizemos curativos, demos-lhes doces e colocámos desenhos animados. Depois encontrámos os pais e os professores deles."

Anna, mãe de uma criança que se encontrava na creche, só quer esquecer este episódio negro.

"Tínhamos uma criança na creche. Ela está viva, graças a Deus. É chocante. Viemos para aqui de Dymerka, onde a nossa casa foi afetada em março do ano passado. É chocante. O que é importante é que o nosso filho está vivo", ressalvou.

As autoridades estão a investigar as circunstâncias do acidente.

Além do ministro do Interior da Ucrânia, morreu também o vice-ministro do Interior, Yevhen Yenin, e o secretário de Estados dos Assuntos Internos, Yurii Lubkovich.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, falou numa "terrível tragédia."