Auxílio Brasil não será antecipado; pagamento começará dia 17. Governo Lula quer garantir os R$ 600 já em janeiro

Final do ano chegando e, ao contrário do ocorrido no período pré-eleitoral, o governo federal não vai antecipar a penúltima parcela do Auxílio Brasil de R$ 600. Com isso os pagamentos vão ocorrer no próximo dia 17 para os beneficiários que têm Número de Inscrição Social (NIS) terminado em 1 e seguem escalonados até 30 de novembro. A última parcela está prevista para o dia 12 de dezembro.

Um ponto a destacar é o valor do Auxílio Brasil para o próximo ano: o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) para 2023, enviado ao Congresso pelo governo Bolsonaro, não contempla a manutenção do auxílio em R$ 600, ele ficará, em média, R$ 405. No entanto, a equipe de transição do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, está em tratativas para que o valor permaneça em R$ 600 e seja acrescido de um extra de R$ 150 por filhos menores de 6 anos de idade.

A definição deve ocorrer ainda nesta semana, inclusive se virá em forma de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), Medida Provisória ou remanejamento orçamentário. Outra mudança prevista para o próximo governo é o retorno do nome do programa para Bolsa Família, que durou de 2003 a 2021.

Procurado, o Ministério da Cidadania, confirmou que o benefício não será antecipado neste mês, como ocorreu em agosto e outubro. Na folha de outubro, receberam o auxílio 21,1 milhões de famílias. Importante destacar que neste mês de novembro não será pago o vale-gás.

O Auxílio Brasil é destinado a famílias em situação de extrema pobreza. Famílias em situação de pobreza também podem receber desde que tenham, entre seus membros, gestantes ou pessoas com menos de 21 anos.

As famílias em situação de extrema pobreza são aquelas que possuem renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até R$ 105. As em situação de pobreza têm renda familiar mensal per capita entre R$ 105,01 e R$ 210.

Apesar de o Ministério da Cidadania ter informado ao EXTRA que a fila de espera do Auxílio Brasil esteja zerada, pretendentes ao programa de transferência de renda, que realizaram a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico) no Rio Poupa Tempo de Bangu em 14 de outubro, continuam fora da lista de contemplados.

Martina do Carmo de Oliveira, de 39 anos, moradora de Cosmos, na Zona Oeste do Rio, foi uma das pessoas que chegou no dia anterior ao atendimento, às 13h30) e passou a madrugada na porta do Poupa Tempo à espera da abertura da unidade para fazer a incrição no CadÚnico, porta de entrada de programas sociais do governo federal.

Até fazer o cadastro, Martina esteve três vezes no local e dormiu na calçada. Desempregada e com dificuldade para se recolocar no mercado de trabalho, Martina conta que até agora a solicitação está em análise.

— O Ministério da Cidadania não nega e nem inclui meu nome no programa. E não é só o meu, outras pessoas que fizeram o cadastro no mesmo dia que fiz, também não receberam nada. Ficamos nessa expectativa e vivendo com muita dificuldade — lamenta Martina.

Marlon da Silva Nunes, 42, de Santíssimo, também na Zona Oeste, está na mesma situação de Martina: ele continua esperando por uma resposta da Cidadania:

— Passei a madrugada na fila, preenchi tudo certinho, e até agora nada...

Procurado, o Ministério da Cidadania informou que novos nomes serão incluídos na folha de novembro, mas não especificou quantas pessoas serão contempladas.

Pelo aplicativo do Auxílio Brasil, a consulta pode ser feita apenas com o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF). Antes de mais nada, é preciso fazer o download do aplicativo do programa. A plataforma está disponível nas lojas Google Play e App Store, disponíveis nos sistemas Android e iOS.

Pelo aplicativo do CadÚnico, é importante ter a versão mais recente do aplicativo instalada no aparelho. Em seguida, basta:

Além da consulta on-line os cidadãos podem conferir pelo telefone se o nome está na lista: