Auxílio Brasil: prazo de recadastramento termina nesta sexta

Os beneficiados por programas sociais do governo federal inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) que não fazem a atualização de seus dados há mais de dois anos têm até esta sexta-feira, 11, para fazer o recadastramento nos Centros de Referência e Assistência Social (Cras).

Consignado do Auxílio Brasil: Beneficiários reclamam de desconto antecipado da 1ª parcela

PEC da Transição: Com solução para Bolsa Família de R$ 600, Lula deve manter teto de gastos

Quem perder o prazo terá o benefício bloqueado nas duas folhas seguintes. Se não regularizar as informações, será cancelado na terceira. Após esse período, a família terá de fazer o pedido de benefício novamente, informou o Ministério da Cidadania.

Segundo a pasta, até o momento, 798,8 mil famílias convocadas para a revisão cadastral continuam com o procedimento pendente. Destas, 234,4 mil são beneficiárias do Auxílio Brasil.

O ministério informou ainda que o cidadão pode fazer o recadastramento pelo aplicativo ou pelo site do CadÚnico, no link "Atualização por confirmação", se não tiver ocorrido alguma mudança no cadastro. No entanto, se renda, composição familiar ou endereço mudaram, é obrigatório ir ao Cras para atendimento presencial.

Além do Auxílio Brasil, o CadÚnico é a porta de entrada para quem quer requerer o Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas) — pago pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a idosos acima de 65 anos carentes e a pessoas com deficiência de baixa renda —, assim como pedir o vale-gás, a Tarifa Social de Energia Elétrica, o ID Jovem e a Carteira do Idoso, alem de participar dos programas Casa Verde e Amarela e Bolsa Verde.

Reforma trabalhista. Equipe de Lula planeja rever três pontos. Veja quais

As informações contidas no CadÚnico devem ser atualizadas a cada dois anos ou sempre que houver alteração nas informações prestadas ao governo.

Como fazer a inscrição

Os cidadãos podem fazer um pré-cadastro na plataforma. O procedimento, no entanto, não é obrigatório.

O primeiro passo é criar um cadastro na plataforma Gov.br, que concentra uma série de serviços do governo federal. Ao acessar o site , basta informar CPF e preencher as informações que serão solicitadas. Após esse cadastro, é possível acessar o aplicativo do CadÚnico e realizar o pré-cadastro.

Entenda: Por que o mercado financeiro ficou ‘nervoso’ após Lula questionar a ‘tal estabilidade fiscal’

Depois desse passo, a pessoa tem 120 dias para comparecer a um posto de atendimento para complementar os demais dados, como escolaridade, trabalho e remuneração. Além do aplicativo, o pré-cadastro e as demais funcionalidades também podem ser acessados por meio da versão web, no endereço www.gov.br/cadunico.

O aplicativo ou a versão web também permite consultar dados como o Número de Identificação Social (NIS), código familiar, situação cadastral, data da última atualização e data-limite para uma nova atualização cadastral. Também serão exibidos os dados do domicílio, da família e de identificação do responsável pela unidade familiar e dos demais integrantes.