Auxílio emergencial 2021 encerra prazo para contestação

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* São Paulo, SP, Brasil, 08-04-2020 - Still objetos. Aplicativo de auxílio emergencial da Caixa Economica Federal. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
*ARQUIVO* São Paulo, SP, Brasil, 08-04-2020 - Still objetos. Aplicativo de auxílio emergencial da Caixa Economica Federal. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Beneficiários que tiveram o auxílio emergencial 2021 cancelado em função de revisões mensais ou outros motivos têm até esta sexta-feira (28) para contestar a decisão.

Para integrantes do programa Bolsa Família, o prazo para contestação vai até terça-feira (1º), segundo informações divulgadas nesta sexta pelo Ministério da Cidadania.

Para verificar a possibilidade de retomar o pagamento do benefício, o cidadão deve entrar no site https://consultaauxilio.cidadania.gov.br.

No site, o beneficiário deve conferir se há parcela com a situação cancelada e clicar no botão "contestar".

Se a razão que motivou o cancelamento permitir contestação, o pedido será reanalisado pela Dataprev (empresa de tecnologia da Previdência) e o trabalhador poderá voltar a receber, caso seja aprovada a contestação.

Os integrantes do Bolsa Família que julgarem que se enquadram nos critérios determinados pela legislação do auxílio emergencial 2021 e não foram contemplados em maio podem fazer a contestação no portal de consultas da Dataprev.

Neste domingo (30), o governo federal finaliza o pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial 2021 com os repasses para aniversariantes de dezembro que se inscreveram pelos meios digitais e que integram o Cadastro Único.

Para os 2,32 milhões que nasceram no último mês do ano o repasse será de R$ 480,3 milhões.

Nesta sexta, os nascidos em novembro recebem as transferências nas contas sociais. Foram 2,29 milhões de beneficiados com um valor total de R$ 474,7 milhões.

Os investimentos federais nesta segunda etapa de pagamentos do auxílio emergencial 2021 chegarão a R$ 5,9 bilhões e alcançarão 28,4 milhões de trabalhadores, segundo o ministério.

O benefício é pago em quatro parcelas, com valor médio de R$ 250, exceção às mulheres chefes de família monoparental (criam os filhos sozinhas), que recebem R$ 375, e os indivíduos que moram sozinhos (família unipessoal), que recebem R$ 150.

Os integrantes do Bolsa Família com o NIS (Número de Identificação Social) final 9 que recebem o auxílio emergencial também receberam a segunda parcela do benefício nesta sexta.

O valor da folha de pagamento de maio para esse público é de R$ 2,95 bilhões. São 9,68 milhões de famílias beneficiárias neste mês.

Outras 5 milhões de famílias não elegíveis ao auxílio seguem recebendo o valor habitual do programa.

Os inscritos no Bolsa Família recebem conforme o calendário habitual do programa, que em maio teve os pagamentos iniciados no dia 18 e terá repasses até a segunda-feira (31) para quem tem NIS final zero.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos