Auxílio Inclusão: governo avalia pagar R$ 550 a pessoas com deficiência que recebem o BPC e que ingressam no mercado de trabalho; entenda

·1 min de leitura

O Ministério da Cidadania avalia expandir o projeto do Auxílio Inclusão — programa que oferece meio salário mínimo (atualmente R$ 550) a pessoas com deficiência que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e que ingressam no mercado de trabalho. O projeto piloto foi implantado no município de São João Batista, em Santa Catarina.

No primeiro mês do projeto piloto, 45% das pessoas com deficiência que recebem o BPC em São João Batista, que demonstraram interesse em entrar no mercado de trabalho, conseguiram um emprego.

De acordo com o governo, as equipes dos Centros de Assistência Social (CRAS) visitaram 80 pessoas com deficiência do município que recebem o BPC. Desse total, 20 demonstraram interesse em ingressar no mercado de trabalho e migrar para o Auxílio Inclusão.

Os interessados responderam a um questionário destacando suas habilidades para que fossem direcionados às vagas correspondentes. Em um mês, nove candidatos conseguiram trabalho, seis estão em processos seletivos e cinco começam no emprego em 2022. Foi construído um posto de atendimento do INSS no município para facilitar a entrada da documentação.

A contratação foi possível já que quatro empresas do ramo de calçados e um hospital disponibilizaram vagas às pessoas com deficiência do Auxílio Inclusão.

De acordo com o Ministério da Cidadania, outras cidades catarinenses e baianas já demonstraram interesse em implantar o projeto piloto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos