Auxílio Brasil: governo não pagará retroativo a 3 milhões de pessoas

·1 min de leitura
João Roma e Jair Bolsonaro
De acordo com Roma, não há recursos suficientes para destinar os R$ 400 do programa a essas famílias

(Andressa Anholete/Getty Images)

  • Governo Bolsonaro descumpre promessa e não pagará retroativo do Auxílio Brasil;

  • Cerca de 3 milhões de famílias serão afetadas;

  • Pagamento seria referente ao mês de novembro.

O ministro da Cidadania, João Roma, informou nesta terça-feira (18) que não pagará o retroativo do Auxílio Brasil aos 3 milhões de brasileiros que tinham direito a receber em novembro.

Na época, a folha de pagamento deveria contemplar 17 milhões de famílias, mas só 14,6 milhões foram beneficiadas. As informações são da colunista Carla Araújo, do UOL.

Leia também:

De acordo com Roma, o governo Bolsonaro não terá condições de cumprir com a promessa e destinar os R$ 400 do programa a essas famílias, uma vez que não há recursos suficientes para manter o compromisso.

“Não, infelizmente [o retroativo não será pago]. A tramitação da PEC (dos Precatórios) só se concluiu em dezembro”, explicou, em entrevista ao UOL. A PEC é a responsável por ampliar o orçamento do governo e possibilitar os gastos com o programa.

Ele ainda negou que o valor do Auxílio tenha caráter eleitoral. “Todas as ações do governo têm avaliação da população. Isso [Auxílio Brasil] amplia, obviamente, a aceitação do governo, consequência de uma política pública, o que é diferente de ação eleitoreira”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos