Auxílio emergencial: Câmara derruba veto e pais solteiros poderão receber R$ 600

·1 minuto de leitura
Real currency. Money from Brazil. Woman holding in hands a fifty Reais banknotes.
No ano passado, foram pagas 5 parcelas do auxílio emergencial a pais solteiros (Getty Creative)
  • Câmara derrubou veto total a projeto de lei vetado por Bolsonaro

  • Projeto garante pagamento de duas parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial a pais solteiros

  • Em 2020, foram pagas cinco cotas aos pais que têm a guarda dos filhos

A Câmara dos Deputados decidiu o veto total do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao projeto de lei que garante duas cotas de R$ 600 de auxílio emergencial para pais solteiros. A aprovação é parcial e depende de votação no Senado. As informações são da Agência Câmara.

Leia também:

O benefício aos pais que têm as guardas dos filhos foi pago em cinco parcelas durante o ano passado.

Veto do presidente

O projeto de Lei 2508/20, da deputada Fernanda Melchiona (PPSOL-RS), foi vetado totalmente por Bolsonaro. A explicação do presidente foi que não havia informações suficiente na base de dados para checar se os homens realmente eram pais solteiros.

A lei originada pelo projeto já não está mais em vigência, mas outros trechos são referentes a temas correspondentes. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos