Auxílio emergencial: já podem atualizar cadastro nascidos em agosto

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
Notas de reais. (Foto: Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Notas de reais. (Foto: Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Caixa Econômica liberou possibilidade de atualização cadastral para nascidos em agosto.

  • Segundo a Caixa, a atualização não é obrigatória.

  • Atualização pode ser feita pelo app Caixa Tem.

A Caixa libera nesta quinta-feira (25) a possibilidade de atualização de dados cadastrais para os trabalhadores nascidos em agosto que esperam para receber o auxílio emergencial do governo para a crise do coronavírus.

Leia também:

Segundo a Caixa, a atualização não é obrigatória, e mesmo quem não fizer a atualização vai receber o benefício.

As informações são de reportagem do portal UOL.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Para fazer a atualização, não é preciso ir a uma agência. Ela pode ser feita pelo próprio app Caixa Tem, na aba “atualize seu cadastro”. Depois, é só inserir digitalmente a documentação solicitada.

Veja o calendário completo, desde o início:

  • A partir de de 14 de março - nascidos em janeiro

  • A partir de de 16 de março - nascidos em fevereiro

  • A partir de de 18 de março - nascidos em março

  • A partir de de 20 de março - nascidos em abril

  • A partir de de 22 de março - nascidos em maio

  • A partir de de 23 de março - nascidos em junho

  • A partir de de 24 de março - nascidos em julho

  • A partir de de 25 de março - nascidos em agosto

  • A partir de de 26 de março - nascidos em setembro

  • A partir de de 29 de março - nascidos em outubro

  • A partir de de 30 de março - nascidos em novembro

  • A partir de de 31 de março - nascidos em dezembro

Como vai funcionar

Nesta nova fase, o governo federal prevê que 45 milhões de pessoas sejam contempladas na nova fase do programa de auxílio emergencial, que varia entre R$ 150 e R$ 375. Recebem R$ 150 os beneficiários que moram sozinhos. Famílias em situação de vulnerabilidade têm direito a R$ 250, enquanto os R$ 375 serão destinados a mulheres com filhos e que são as provedoras do lar.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube