Avenida que dá acesso ao Maracanã terá o nome de Pelé

Anuncio foi feito pelo prefeito do Rio de Janeiro nesta terça-feira (3)

Prefeito do Rio de Janeiro anunciou que avenida que circunda o Maracanã terá o nome de Pelé. Foto: Buda Mendes/Getty Images
Prefeito do Rio de Janeiro anunciou que avenida que circunda o Maracanã terá o nome de Pelé. Foto: Buda Mendes/Getty Images

Um dos principais acessos para o estádio do Maracanã vai prestar uma das primeiras homenagens ao Rei Pelé. A Avenida Radial Oeste, via que circunda o principal palco do futebol brasileiro, passará a se chamar Avenida Pelé.

O anúncio foi feito pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, nas redes sociais, nesta terça-feira (3). O decreto sobre a decisão será publicado no Diário Oficial da capital carioca na próxima quarta-feira (4).

Leia também:

O nome pode receber um acréscimo e virar Avenida Rei Pelé. O prefeito do Rio de Janeiro aproveitou o anuncio para abrir uma enquete no Twitter onde os internautas podem escolher a versão preferida.

Apesar de fazer a sua carreira no Santos, o Maracanã foi uma das principais “casas” de Pelé. Lá ele marcou o milésimo gol no dia 19 de novembro de 1969.

Um dos times mais conhecidos da história do futebol, o Santos de Pelé tinha uma representatividade tão grande no Brasil que passou a mandar muitos de seus jogos principais no Maracanã, o maior estádio do mundo nos anos 60.

Jogos do Mundial Interclubes de 1962 e 1963, contra Benfica e Milan, tiveram mando santista no estádio carioca, com públicos de mais de 120 mil pessoas.

A despedida da Seleção Brasileira também aconteceu no Maracanã, em 18 de julho de 1971, em amistoso contra a Iugoslávia que terminou empatado em 2 a 2. Pelé não balançou as redes naquela ocasião e os gols brasileiros foram feitos por Rivellino e Gérson.

Após o fim do primeiro tempo, Pelé retirou a lendária camisa 10, abraçou os companheiros e desceu pelo túnel central. Depois, voltou ao campo e deu a volta olímpica quando foi ovacionado pela torcida.

Pelé morreu no último dia 29, aos 82 anos no hospital Albert Einstein, em São Paulo onde ficou internado por um mês. Lá ele fazia tratamento de um câncer no cólon.