Avesso a entrevistas, Roberto Carlos estará em documentário sobre Daniella Perez

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Roberto Carlos
    Futebolista brasileiro
  • Daniella Perez
    Atriz e bailarina brasileira

Roberto Carlos é mais um convidado entre os entrevistados do documentário sobre Daniella Perez, atriz que foi assassinada aos 22 anos por Guilherme de Pádua, seu par romântico na novela "De corpo e alma" em 1992. O cantor era um entusiasta do trabalho da filha de Glória Perez e a convidou para participar de seu especial de fim de ano em diferentes momentos. Em um deles, a TV Globo exibiu três dias antes da morte da artista o programa em que ela interpretou a Virgem Maria.

Roberto Carlos não costuma dar muitas entrevistas. Em tempos anteriores à pandemia, por exemplo, o artista fazia apenas uma coletiva de imprensa anual em seu cruzeiro. Mas o cantor também tem uma longa relação de amizade com Glória Perez. Músicas do Rei já embalaram grandes personagens da novelista, que muitas vezes faz pedidos especiais de composição a ele. Em "A força do querer (2017)", por exemplo, Roberto fez "Sereia" para a personagem Ritinha, de Isis Valverde. Em "Salve Jorge" (2012), o artista fez "Esse cara sou eu", tema romântico dos personagens de Nanda Costa e Rodrigo Lombardi. Já a autora foi chamada por Roberto Carlos para supervisionar um filme sobre a vida dele.

"Quanta gentileza, ternura e generosidade. Roberto é luz pura. Dedico esse momento à nossa amada Glória Perez", escreveu Tatiana Issa, diretora da produção, ao posar ao lado do Rei.

A série sobre o assassinato de Daniella Perez terá ainda depoimentos da mãe da artista, a autora Glória Perez, além de amigos, como Fábio Assunção, Claudia Raia, e do então marido Raul Gazolla. Para a diretora do projeto, a obra vai discutir temas importantes da sociedade e também quer ajudar a fazer justiça.

"Essa série trata de tópicos importantes como feminicídio, a culpabilização da vítima, do circo midiático, dos detalhes do crime, entre outros, mas sobretudo conta a história da luta de uma mãe, que mesmo depois de 30 anos, continua lutando como uma leoa. Vamos de mãos dadas dar a nossa Dany a justiça que ela tanto merece", disse, no Instagram, Tatiana Issa, a diretora do projeto que irá ao ar na HBO Max em 2022.

A cineasta, que começou como atriz, conheceu Daniella de perto. E tem uma relação com Glória Perez.

"Essa série é uma declaração de amor à Glória Perez. Uma mulher guerreira, uma mãe que nunca desistiu de lutar pela justiça da filha assassinada de forma tão brutal. Uma mulher que conseguiu mudar uma lei no país pela sua força e dor imensurável", escreveu.

O crime

Em busca de mais espaço na novela "De corpo e alma", Guilherme de Pádua assediava Daniella Perez, filha da autora da trama e com quem tinha um par romântico, para que ela pedisse a mãe para aumentar sua participação. Ao lado da esposa, o então ator fez uma emboscada para a colega, de 22 anos, e a assassinou a facadas, em 1992. Eles foram condenados a 19 anos e 6 meses de prisão. E foi solto após seis anos, depois de ter cumprido um terço da pena.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos