Avião de carga faz pouso de emergência no mar do Havaí

·2 minuto de leitura
Mapa do Havaí com localização de Honolulu

Um avião de carga Boeing 737 operado pela Transair, com dois tripulantes a bordo, fez um pouso de emergência no mar em Honolulu na madrugada desta sexta-feira (2), devido a um problema no motor, informou a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA).

O voo 810 da Transair "tentava voltar para Honolulu quando foi obrigado a pousar" na água às 02h30 da manhã (horário local), disse um porta-voz da FAA em um comunicado.

"Segundo as informações preliminares, a Guarda Costeira americana resgatou os dois membros da tripulação. A FAA e a Junta Nacional de Segurança no Transporte vão investigar", acrescenta o comunicado.

Um porta-voz da Guarda Costeira, o suboficial Matthew West, disse à rede CNN que um helicóptero da Guarda Costeira resgatou um dos tripulantes, enquanto "um helicóptero dos bombeiros socorreu o outro".

Uma patrulha da Guarda Costeira também foi enviada para o local.

Os dois membros da tripulação foram levados para um hospital de Honolulu para receberem tratamento, disse West, afirmando que não tem mais informações sobre seu estado de saúde.

O avião é aparentemente um 737 Classic que teria sido fabricado há pelo menos 33 anos, de acordo com uma fonte próxima ao assunto.

A Boeing "está ciente das informações vindas de Honolulu, no Havaí, e está monitorando a situação", disse um porta-voz da fabricante.

A empresa afirmou estar em contato com a Junta Nacional de Transporte e Segurança dos Estados Unidos (NTSB), a agência que investiga acidentes de transporte, e está em processo de compilar as informações disponíveis.

Tanto a FAA quanto a NTSB investigarão o incidente.

O evento lembrou o pouso de um Airbus A320 no rio Hudson, ao norte de Nova York, em janeiro de 2009.

Após avaria provocada pelo impacto de um bando de gansos selvagens e quando a torre de controle o aconselhou a pousar em um aeroporto próximo, o piloto Chesley Sullenberger decidiu fazê-lo no rio, salvando a vida de seus 155 passageiros e tripulantes.

O 737 MAX, lançado em 2017, sofreu dois acidentes em 2018 e 2019 que deixaram 346 mortes devido a um defeito no software de controle de voo MCAS.

As tragédias obrigaram toda a frota do modelo a ficar paralisada por vinte meses, até o final de 2020, quando foi autorizado a retomar as atividades.

jum/tu/seb/yo/ll/aa/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos