Avião com 72 pessoas a bordo cai no Nepal

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Pelo menos 68 pessoas morreram neste domingo (15) quando um voo doméstico caiu em Pokhara, no Nepal, no pior acidente do pequeno país do Himalaia em 30 anos.

O voo da Yeti Airlines deixou a capital Katmandu transportando 72 pessoas —68 passageiros e quatro tripulantes. Equipes de resgate estão no local da queda da aeronave realizando buscas por vítimas. Sessenta e oito corpos já foram resgatados.

Um vídeo publicado nas redes sociais mostra o avião voando baixo sobre uma área povoada momentos antes da queda.

Segundo Jagannath Niroula, porta-voz da Autoridade de Aviação Civil do Nepal, o tempo estava claro no momento do acidente. As causas do acidente ainda são investigadas.

"O avião está pegando fogo", disse o policial Ajay K.C. à agência Reuters, acrescentando que equipes de resgate estavam tendo dificuldade para chegar ao local, em um desfiladeiro entre duas colinas perto do aeroporto da cidade turística.

A aeronave, um bimotor ATR-72, fez contato com o aeroporto de Seti Gorge às 10h50 (horário local), informou a autoridade de aviação local em um comunicado.

"Metade do avião está na encosta", disse Arun Tamu, um morador local, que disse à Reuters que chegou ao local minutos depois que o avião caiu. "A outra metade caiu no desfiladeiro do rio Seti", completou Tamu.

O acidente é o mais mortal no Nepal desde março de 2018, quando um voo turboélice US-Bangla Dash 8 de Dhaka caiu ao pousar em Katmandu, matando 51 das 71 pessoas a bordo, de acordo com a Aviation Safety Network.

Pelo menos 309 pessoas morreram desde 2000 em acidentes de avião ou helicóptero no Nepal - lar de oito das 14 montanhas mais altas do mundo, incluindo o Everest - onde o clima pode mudar repentinamente e criar condições perigosas.

A União Europeia baniu as companhias aéreas nepalesas de seu espaço aéreo desde 2013, citando preocupações de segurança.

PISTAS DIFÍCEIS

O país do Himalaia tem algumas das pistas mais remotas e perigosas do mundo, ladeadas por picos cobertos de neve que fazem da aproximação para o pouso um desafio mesmo para os pilotos mais experientes.

Os operadores de aeronaves dizem que o Nepal carece de infraestrutura para uma previsão meteorológica precisa, especialmente em áreas remotas com terreno montanhoso acidentado, onde vários acidentes fatais foram registrados no passado. O clima também muda rapidamente nas montanhas, criando condições de voo ainda mais difíceis.