Avião de pequeno porte cai na região da serra da Cantareira, em SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um avião de pequeno porte caiu na região da serra da Cantareira, na zona norte da capital paulista, na manhã desta segunda-feira (2).

A informação inicial é de que a aeronave saiu de Jundiaí (Grande SP) e tinha como destino o aeroporto de Campo de Marte, também na zona norte da cidade.

O Corpo de Bombeiros informou que foi acionado pela Aeronáutica após os radares perderem o sinal de contato com o avião.

O helicóptero Águia, da Polícia Militar, fez um sobrevoo na região e localizou os destroços da aeronave numa região de mata fechada. Os regatistas tiveram que acessar o local por meio de rapel.

No início da tarde, o Corpo de Bombeiros informou que nenhuma pessoa a bordo sobreviveu. No entanto, a corporação não informou o número de vítimas.

A equipe de resgate é composta por 27 bombeiros.

O avião é um King Air, bimotor capaz de transportar entre quatro e cinco passageiros.

De modelo C-90, foi fabricado em 2007 pela empresa americana Hawker Beechcraft e tem como proprietário o empresário e pecuarista Setímio de Oliveira Sala.

Segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave estava em situação regular, com Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até maio de 2024, e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até junho de 2020.

O Cenipa (órgão vinculado à Aeronáutica responsável por investigar acidentes aéreos) enviou técnicos ao local para iniciar a apuração das causas do acidente aéreo. "O objetivo é coletar dados, fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos", informou a Aeronáutica.

Como funcionam as investigações de acidentes aéreos no Brasil*

​Quem pode ajudar com informações?

- Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), com licenças e certificados

- Fabricante da aeronave, com dados sobre o avião

- Sindicatos e outras entidades de classe, com informações sobre as empresas aéreas

Qual é o protocolo seguido?

NSCA 3-13 (Norma do Sistema do Comando da Aeronáutica), que consiste em:

1) Cenipa forma uma comissão de investigação

2) Preserva o local e indícios

3) Verifica os danos causados à/pela aeronave

4) Coleta e confirma dados

5) Faz um exame detalhado imediatamente após as ações de resgate

6) Gravadores de voo são enviados o mais rápido possível ao Cenipa

7) Cenipa conclui o relatório final da investigação

8) Autoridade aeronáutica o aprova

9) Cenipa deve torná-lo público em sua página na internet

Quem faz o quê

O investigador

- Tem controle e acesso irrestrito à aeronave, aos destroços e a outros materiais, como gravadores de voo

- Deve estabelecer a coordenação com outros órgãos, como polícia, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Anac, Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), entre outros

A autoridade policial

- Deve isolar o local até a liberação pelas autoridades aeronáuticas e pelos agentes da perícia criminal

O operador ou proprietário da aeronave

- Deve prestar todas as informações e documentações solicitadas; se necessário, pode auxiliar na análise de dados

O Cenipa

- Deve fornecer informações relevantes às famílias e sobreviventes

O que acontece quando uma aeronave está desaparecida?

Assim que as buscas acabam, é iniciada uma investigação com os dados conhecidos. Se o avião não for encontrado 12 meses após a ocorrência, a investigação é concluída com os dados existentes

O que é a caixa preta?

É o conjunto de gravadores de áudio e de dados embarcados na aeronave e que em caso de acidente podem fornecer informações sobre o voo

O que é o gravador de voz?

É um dispositivo que capta e registra todos os áudios da cabine de uma aeronave. Com ele, pode-se saber, por exemplo, o que o piloto e o copiloto conversaram, o que o piloto disse à tripulação ou aos passageiros e até eventuais ruídos da aeronave que podem ser importantes na investigação de um acidente, como falhas mecânicas

O que o gravador de dados de voo registra?

A depender do modelo do avião, ele pode registrar dados técnicos como altitude, velocidade, pressão, aceleração, posição do avião, entre outros