Estudantes criam tenda de campanha com energia solar para sem-tetos

Los Angeles (EUA), 17 abr (EFE).- Com a ajuda monetária do prestigiado Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), um grupo de estudantes residentes na Califórnia (EUA) está criando uma tenda de campanha dotada de energia solar para satisfazer as necessidades elétricas de pessoas sem-teto.

"Nossa tenda de campanha é feita com materiais especiais, onde vamos ter painéis solares, vamos ter luzes de LED, para que a pessoa possa ver dentro quando estiver escuro, também vamos ter o fator para limpar a casa que são as luzes UV (Ultra Violeta) que matam as bactérias", disse à Agência Efe Kenia Shi, estudante do último ano do ensino médio.

A instalação de tecnologia solar em miniatura em uma tenda móvel é uma proposta de 12 alunas latinas da escola San Fernando "Magnet", no condado de Los Angeles, com a qual ganharam uma bolsa de US$ 10 mil por parte da organização "Lemelson InveTeam" da escola de engenharia do MIT.

"Quando fomos introduzidas ao programa e nos disseram que tínhamos a oportunidade de fazer uma invenção que podia mudar laguma coisa nossa comunidade, pensamos que criar uma tenda de campanha com energia (solar) era o melhor", lembrou Shi.

Filha de imigrantes de Santa Tecla (El Salvador), Shi estudará engenharia mecânica na Universidade de Califórnia (UC) San Diego.

As estatísticas de 2016 do escritório da Autoridade de Serviços para Desamparados de Los Angeles (LAHSA) indicam que no condado há 43 mil pessoas que vivem em refúgios ou em barracas nas ruas.

O cômputo anual, que não inclui cifras de Pasadena, Glendale e Long Beach, especifica que 39% da população desamparada é afrodescendiente, 27% é latina e 26% branca.

Araceli Chávez, filha de imigrantes de Michoacán (México), disse à Agência Efe que "é muito lindo" poder dizer que está ajudando estas pessoas que "muitas vezes o governo mesmo ignora".

Quinze escolas nos Estados Unidos ganharam bolsa de estudos de criação a partir de métodos de engenharia, como a "tenda de campanha com energia solar" que as alunas mostrarão na exposição "EurekaFest" de 15 a 17 de junho deste ano no campus do MIT.

Chávez, que já recebeu uma carta de aceitação para estudar engenharia de programação e política na Universidade de Georgetown, em Washington DC, explicou que graças a uma sondagem realizada para conhecer as necessidades dos sem-teto, aprenderam que "muitas pessoas pedem acesso à energia elétrica".

A solução das estudantes é um pequeno painel solar e um foco que possui um acumulador de energia, transferível a outros aparelhos, entre outras inovações.

"Nós sonhamos que na 'EurekaFest' podemos encontrar alguém que se interesse em distribuir o produto em nível nacional", expressou Chávez, que disse que foi inspirada pelos meninos em situação de pobreza extrema que necessitam de luz para fazer tarefas escolares e energia para recarregar telefones celulares.

Já Flora Mendoza, diretora da escola "Magnet" de San Fernando, disse à Efe que este projeto deu às alunas "a oportunidade de aplicar o que já aprenderam para realizar sua invenção".EFE