Avião com 77kg de ouro e escoltado por PMs não tinha autorização para voar

77kg de ouro em avião com PMs: Aeronave não tinha autorização para voo e já era alvo de outra investigação em um inquérito. (Foto: Divulgação/Polícia Federal)
77kg de ouro em avião com PMs: Aeronave não tinha autorização para voo e já era alvo de outra investigação em um inquérito. (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

O avião que chegou a Sorocaba (SP) com 77 quilos de ouro sem procedência conhecida e escoltado por policiais militares não tinha autorização para voar. A aeronave já era parte de outro inquérito policial e estava com sequestro criminal, que é quando o bem deve ficar sob poder da Justiça. As informações são do G1.

De acordo com informações da TV TEM, afiliada da Rede Globo em Sorocaba, assim que o avião entrou no espaço aéreo, a Polícia Federal monitorou qual local ele iria aterrissar. A aeronave deixou Sorocaba por volta das 6h. No dia seguinte, o ouro foi retirado por seis pessoas que estavam em dois carros.

O avião, que é particular, deixou o material em um hangar privado que aluga espaço no aeroporto do município.

A Polícia Militar Rodoviária, abordou os veículos no quilômetro 74 da Rodovia Presidente Castello Branco, perto da praça de pedágio em Itu (SP), na tarde de quarta-feira (4). O ouro estava dividido em três malas.

Segundo a Polícia Federal, o valor da apreensão soma cerca de R$ 23 milhões. As seis pessoas que faziam o transporte foram detidas - quatro delas são policiais militares, um deles da reserva.

Marcelo Tasso, tenente-coronel PM da Casa Militar e Gildsmar Canuto sargento PM da Casa Militar, estão entre os militares detidos, sendo que eles fazem parte da Casa Militar, órgão do gabinete do governador de São Paulo responsável pela segurança do Palácio dos Bandeirantes, entre outras atribuições.

As outras pessoas detidas são: Douglas Cristiano Burin (soldado PM); Marcelo Dantas (sargento PM, atualmente na reserva); Wilson Roberto de Lucca e Marcos Pereira dos Santos.

Um inquérito foi aberto pela PF para averiguar se houve prática dos crimes de usurpação de bens da União e receptação dolosa. Segundo documentos apreendidos, a carga de ouro saiu do Mato Grosso e do Pará.

Os seis detidos foram levados à delegacia da PF em Sorocaba, onde foram ouvidos e liberados. O metal foi encaminhado para perícia em laboratório da PF.

A PF também informou que o avião foi apreendido. A aeronave é objeto de sequestro criminal em outro inquérito policial. As circunstâncias da utilização proibida da aeronave serão apuradas.

Governo de SP quer apuração rigorosa do caso

O governo de São Paulo determinou que a Corregedoria da Polícia Militar será a responsável pela investigação envolvendo a participação no caso dos PMs que integram a Casa Militar do governo.

"O Estado agora está fazendo esse levantamento para saber se existe crime, se houve algum uso indevido da aeronave utilizada", declarou o governador Rodrigo Garcia (PSDB).

Dois dos quatro agentes detidos trabalham na Casa Militar, órgão do gabinete do governador de São Paulo, que também é responsável pela segurança do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo.

Enquanto a Corregedoria vai investigar a conduta dos militares, a Polícia Federal será responsável por apurar a origem do ouro. A entidade abriu um inquérito por usurpação de bens da União e receptação dolosa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos