Avião decola com mil malas e nenhum passageiro em meio ao caos aéreo

Aeroportos europeus sofrem com alta demanda e falta de profissionais nos aviões
Aeroportos europeus sofrem com alta demanda e falta de profissionais nos aviões

(Getty Images)

  • Avião da ADelta Air Lines realiza voo com 1.000 malas e nenhum passageiro;

  • Objetivo foi devolver as bagagens a seus donos, nos EUA;

  • Passageiros ficaram sem as malas depois que um problema atingiu o sistema de esteiras em Heathrow.

A companhia aérea Delta Air Lines realizou um voo, de Londres para Detroit (EUA), com 1.000 malas e nenhum passageiro a bordo. O objetivo foi devolver as bagagens a seus donos, em meio ao caos aéreo que atinge toda a Europa.

A viagem, completada por um Airbus A330, teve que ser feita depois que os passageiros ficaram sem suas malas, na hora do desembarque, devido a um problema técnico no sistema de esteiras de bagagens despachadas no aeroporto de Heathrow, em Londres, no começo de junho. Na época, as fotos descritas como ‘um mar de malas’ viralizaram nas redes sociais.

Inicialmente, previa-se que o avião A330-200, registrado sob a matrícula N851NW, deveria levar os passageiros para Detroit, mas o voo foi cancelado. Apesar dos transtornos, as pessoas foram realocadas em outro voo e o A330 usado para devolver as bagagens. As informações são da Folha de S. Paulo.

"Recentemente, tivemos um fretamento apenas para repatriar malas de volta aos clientes, que tinham ficado retidas por causa de alguns problemas operacionais", disse o CEO da Delta, Ed Bastian, em uma teleconferência para discutir os resultados financeiros trimestrais.

Mais de 60 voos cancelados

A situação das bagagens não foi a única caótica experimentada em Heathrow. Na segunda-feira passada (11), o aeroporto londrino cancelou 61 voos e alertou que novos cancelamentos podem acontecer durante o verão europeu.

No final de junho, o aeroporto já havia pedido que algumas companhias aéreas reduzissem seus horários de voo, principalmente devido aos enormes problemas na entrega de bagagens aos viajantes.

Dentre os motivos que contribuem para o caos, está o aumento da demanda –por conta do arrefecimento da Covid-19 – e demissões de milhares de funcionários que trabalhavam nas companhias aéreas e aeroportos britânicos, no auge da pandemia.

Segundo um porta-voz, Heathrow vivenciou "o equivalente a 40 anos de aumento (de passageiros) em apenas quatro meses". Como consequência, prosseguiu, "ultimamente temos visto que a demanda supera a capacidade do aeroporto, das companhias aéreas e dos serviços de assistência em solo".

Vale destacar que os problemas se encontram por todo o continente, não apenas em Londres. Após greves nos aeroportos de Paris, o jornal Libération previu um cenário digno de um pesadelo nos aeroportos da Europa, com voos cancelados em série, filas de espera de várias horas, bagagens extraviadas e aviões que não podem decolar por falta de controladores aéreos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos