Avó de desaparecidos há 7 meses no RJ contesta versão de corpos em rio: 'para boi dormir'

·2 minuto de leitura
Polícia investiga desaparecimento de Lucas Matheus, de 8 anos, Alexandre da Silva, de 10 anos, e Fernando Henrique, de 11 anos (Foto: Reprodução)
Polícia investiga desaparecimento de Lucas Matheus, de 8 anos, Alexandre da Silva, de 10 anos, e Fernando Henrique, de 11 anos (Foto: Reprodução)
  • Avó de jovens desaparecidos diz não acreditar em versão de homem que acusou o próprio irmão

  • Polícia fez buscas na área onde corpos teriam sido jogados, mas não encontrou nada

  • Trio de crianças está desaparecido desde o dia 27 de dezembro

A versão de que os corpos dos garotos desaparecidos em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, foram jogados em um rio, não convenceu a avó de dois dos três jovens. Para Silvia Regina, as crianças estão vivas e a história seria para "despistar".

A Polícia Civil tenta resolver o caso há mais de sete meses quando o trio de jovens desapareceu. 

Leia também

"Como que uma pessoa pega três corpos em sacos sem saber do que se trata? Criança pesa, ainda mais três. E os corpos não subiram depois, ninguém viu? É um relato muito estranho, parece inventado. Estão tentando despistar a polícia. Pra mim, eles estão vivos. Isso é história pra boi dormir", disse a avó ao jornal "O Globo".

Depois de semanas sem novidades sobre o caso, nesta semana um homem acusou o próprio irmão de ter jogado o corpo dos meninos em um rio. A polícia realizou buscas no local nessa quinta-feira (29), mas não encontrou nada que pudesse levar ao paradeiro dos jovens desaparecidos desde o dia 27 de dezembro:

  • Lucas Matheus da Silva (8 anos)

  • Alexandre da Silva (10 anos)

  • Fernando Henrique Ribeiro Soares (11 anos)

As famílias acusam a polícia de descaso na investigação do sumiço. Ao portal UOL, o delegado Uriel Alcântara, responsável pelo caso, já afirmou que o desaparecimento dos garotos foi uma "ação discreta".

"Foi algo muito discreto, que não chamou a atenção e, por isso, faltam elementos concretos para a investigação. Qualquer ação violenta teria chamado a atenção", argumentou Alcântara em junho. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos